resultados-mundiais

Resultados dos Indicadores Mundiais

24 MAI, 2019 / POR: ACIONISTA.COM.BR

Bandeira dos EUA

EUA

O Departamento de Comércio dos EUA anunciou que o número de pedidos e entregas de bens duráveis feitos à indústria norte-americana ficou abaixo da estimativa do mercado durante o mês de abril. O índice registrou uma queda de 2,1% no referido mês. O dado veio acima do esperado pelo mercado que apontava perdas de 2,0%. Excluindo o setor automobilístico, o indicador obteve 0,0%.

Armazenamento de gás natural recua. Foram registrados 100B contra os 106B da semana anterior, segundo Administração de Informação sobre Energia dos Estados Unidos (EIA).


PMI composto deverá recuar em maio. O instituto Markit Economics anunciou que o índice gerente de composto dos deverá registrar 50,9 pontos em maio de 2019, ante os 53 pontos do mês anterior.


Ata do FOMC reforça postura de cautela e paciência

De acordo com relatório diário do Bradesco, o documento reconheceu que a economia norte-americana cresce em ritmo superior ao inicialmente estimado. Assim, o Fed colocou viés de alta para sua estimativa de crescimento do PIB de 2019, atualmente em 2,1%. Ademais, o colegiado voltou caracterizar a desaceleração recente da inflação como temporária, ressaltando que diante do cenário de mercado de trabalho aquecido, a variação de preços deverá convergir para a meta ao longo dos próximos meses.
Por fim, o banco central dos EUA voltou a utilizar a expressão 'paciência' ao se referir aos próximos passos de política monetária, sinalizando continuidade de uma postura mais cautelosa. Ajustes altistas nos juros, a nosso ver, só deverão ocorrer caso a inflação mostre sinais consistentes de que ultrapassará a meta. Dessa forma, a comunicação emitida ontem reduz ainda mais a probabilidade de um corte na taxa de juros no curto prazo, reforçando o cenário de manutenção da taxa no intervalo atual, pelo menos até o fim do ano.

Pedidos de seguro-desemprego recuam. Foram registrados 211 mil pedidos de seguro-desemprego, segundo dados do Departamento de Trabalho do País. Os analistas esperavam 215 mil pedidos na semana avaliada, contra os 212 mil registrados na semana anterior.

Vendas de imóveis existentes caem 0,4% no mês de abril na comparação com o mês anterior, para uma taxa anualizada, com ajustes sazonais, de 5,19 milhões de unidades. O número ficou abaixo do esperado pelo mercado (5,35 milhões).

Reservas de petróleo caem para 4,740M de barris na semana concluída em 17 de maio. Vale ressaltar que especialistas esperavam uma queda a -0,599M de barris e na semana anterior foram registrados 5,431M de barris.


Alemanha

Alemanha

PIB da Alemanha apresenta estabilidade no 1T19. O Destatis anunciou que a maior economia da Europa, ficou em 0,4% no primeiro trimestre de 2019. O número veio em linha com o registrado no trimestre anterior (0,4%).

PMI composto deverá avançar em maio. Em maio, o índice dos gerentes de compras (PMI) composto deverá avançar a 52,4 pontos, após ter registrado 52,2 pontos no mês anterior. As informações preliminares foram divulgadas, pelo Instituto de pesquisas Markit Economics. Vale lembrar que o número abaixo de 50 pontos indica que o setor está em contração.


União Europeia

União Europeia

PMI composto avança em maio para 51,6 pontos em maio deste ano. O resultado veio abaixo do esperado pelo mercado (51,7). Vale lembrar que toda marcação acima dos 50 pontos indica expansão do setor.


Confiança do consumidor cai em maio, informa a Comissão Europeia. O índice deverá recuar para -6,5 pontos em maio deste ano. O número veio abaixo do esperado por analistas (-7,6%).


Conta corrente da zona do euro registra superávit de € 24,7 bi em março de 2019. No mês anterior, o número registrado foi de € 27,8 bilhões.


União Europeia

Reino Unido

Vendas no varejo do Reino Unido ficam estáveis em abril registrando 0,0% na comparação com o mês anterior.


Preços ao consumidor crescem em abril, conforme o Escritório Nacional de Estatísticas (ONS) registrando alta de 0,6% na comparação com o mês anterior. Já na comparação anual, o índice apresentou ganhos de 2,1% em abril de 2019. O número veio abaixo do esperado por analistas (2,2%).


Fontes: Enfoque, Investing.com, Reuters, UOL, G1, TradingView e ADVFN.

Compartilhe

           


Gráficos Comparativos