Idosa com pilhas de moedas

Qual o impacto da taxa Selic em 2019

PUBLIEDITORIAL / 29 NOV, 2018 / POR: SERGIO DIAS

Caso isso soe estranho para você, saiba que Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Estabelecida pelo Copom (comitê de Política Monetária). Uma equipe de pessoas que se reúne a cada 45 dias para decidir os rumos da taxa de juros.

É um sistema extremamente importante para a política econômica do país e tem grande influência na hora da fazer investimentos como o financiamento de apartamento.

O governo para fazer novos investimentos e pagar suas próprias dívidas, utiliza, além dos impostos, empréstimos bancários e aproveita quando a Selic está baixa para pagar seus juros.

O que é a taxa Selic

Essa taxa funciona como uma média para os juros pagos em empréstimos. Os bancos recebem essa taxa quando o governo ou o consumidor pega alguma quantia emprestada e vai fazer o pagamento da mesma.

Como qualquer taxa, a Selic sobe e desce o tempo todo. Quando ela está alta, os bancos preferem emprestar ao governo, pois a taxa é ainda maior e as quantias também.

Esse sistema existe para influenciar na inflação e também controlá-la, isso é feito por diversos governos ao redor do mundo e no Brasil não é diferente.

Algumas vantagens e desvantagens

Essa influência da Selic na vida do consumidor pode ser de grande ajuda, mas também funciona como um obstáculo em alguns investimentos e dívidas.

Com uma taxa baixa, por exemplo, o pagamento de cheques especiais e dívidas ficam com juros mais baixos, ajudando assim, ao consumidor.

Por outro lado quem está realizando alguma aplicação não se beneficia dessas taxas, pois o rendimento é menor.

Já com uma taxa alta, as aplicações geram mais juros e maior rendimento na sua poupança. O que pode te ajudar a juntar uma quantia maior de dinheiro para o seu investimento.

E para quem vai utilizar de empréstimo bancário para investir algum negócio, uma alta taxa da Selic pode ser um prejuízo.

É, também, preciso pensar que, se um banco sabe que o sistema está em baixa, isso pode interferir na liberação do crédito solicitado.

Porém, é possível acompanhar esses valores pelo site do Banco Central e verificar quando é a melhor hora para realizar um investimento ou aplicação na sua poupança e ter maior retorno.

O ideal é manter-se atualizado sobre os valores. Encontre uma época em que a taxa não está absurda, mas também não está baixa a ponto do seu empréstimo ser negado.

Como o Selic influencia seus investimentos

Digamos que uma pessoa decide financiar um apartamento. Antes disso, vamos imaginar que ela juntou dinheiro em sua poupança antes de realizar tal investimento.

Se a taxa de Selic estiver em alta, o rendimento dessa poupança terá sido maior, caso não, ela não sofrerá prejuízo, mantendo apenas o valor investido.

Mas, supondo que essa pessoa irá utilizar um empréstimo do seu banco para fazer esse financiamento é importante que cheque se os juros a serem pagos ao fim do empréstimo serão altos.

O que se espera da Selic em 2019

Com o fim do ano chegando, é preciso entender o que essa política econômica nos reserva para o ano que vem.

O economista Stephan F. Kautz, afirma que no atual cenário econômico, o Selic teria uma alta de até 8,5% e em um cenário otimista, até 10%.

Otimista, claro, quando se trata de médios e altos investimentos no mercado. É também de se esperar que esse aumento só ocorra no segundo semestre do ano que vem.

Com diversos fatores influenciando essas taxas, como o cambio e o preço do petróleo, é difícil afirmar com exatidão o futuro cenário desse sistema. Todos os dados trabalhados são feitos de ângulos otimistas.

Não se assuste caso você esteja pensando em abrir uma poupança, apesar de um rendimento menor, o valor que será investido por você não será prejudicado de forma alguma.

Portanto, se você está pensando em investir, o momento é agora. Confira constantemente as taxas para saber o que melhor te beneficia.

Autor

Sergio Dias

Economista com pós-graduação em gerência de projetos e especialização em administração de empresas; consultor de empresas, roteirista, palestrante e instrutor; sócio da Sdias Consultoria Ltda (fundada em 1999); prestador de serviços de consultoria no SEBRAE/RJ, nas áreas de gestão da inovação e planejamento estratégico. Sérgio Dias também é consultor e facilitador de cursos de inovação na FIRJAN e na ANPEI. É vice-presidente da ASSESPRO-RJ, membro do Conselho Empresarial de Inovação da Associação Comercial do Rio de Janeiro e integrou o grupo de trabalho da prefeitura para elaboração do Planejamento Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro e as missões de negócios ao Panamá, Costa Rica, Portugal e Espanha pelo Centro Internacional de Negócios da FIRJAN.
Veja mais: