Imóveis

2019 - Aumenta 290% o número de brasileiros buscando imóveis nos EUA

21 JAN, 2019 / POR: GUERATTO PRESS

"É um grande movimento. A confiança voltou para o brasileiro, inclusive o de alta renda”, explica Fernando Bergallo, Diretor de Câmbio da FB Capital".

A vitória do candidato de direita, Jair Bolsonaro (PSL), não trouxe apenas ânimo para o mercado. A Bolsa subindo rapidamente e o dólar desabando são apenas algumas consequências. Entre os empresários, projetos que estavam engavetados começaram a sair e novos empregos estão sendo gerados.

“Muitos dos nossos clientes são empreendedores e a onda de otimismo que tomou conta não víamos há 10 anos. Estamos falando de um momento em que nem mesmo a reforma da previdência foi aprovada. Quando esta for sancionada virá ainda muito mais capital externo. Temos um horizonte de 4 anos de um novo ciclo econômico para o país”, revela Fernando Bergallo, Diretor de Câmbio da FB Capital, empresa líder de mercado em transações internacionais para compras de imóveis.

Até o ano de 2008, com a queda da moeda americana em função da crise nos EUA e a estabilidade da economia nacional, muitos brasileiros realizaram o sonho de ter uma casa na América, principalmente em lugares como Miami e Orlando.

“Estas cidades possuem um clima muito parecido com o nosso, além de belas praias e parques temáticos. Além disso, Nova Iorque chega a ter o metro quadrado 3 vezes mais caro, o que dificulta a compra”, conta o Diretor de Câmbio.
Porém, quando veio a crise americana e posteriormente atingiu a américa latina, ocorreu um recuo neste mercado, principalmente para quem comprava.
“Até mesmo o público de altíssima renda, se sente desconfortável em gastar em um imóvel fora do país em um momento de crise. O fluxo que nós tínhamos passou a ser principalmente de pessoas vendendo suas unidades, pois já haviam valorizado ou com as remessas de dólares mensal de quem já havia comprado parcelado e precisava ir quitando”, explica Bergallo.

Porém, nos primeiros dias de 2019 o fluxo está muito grande. Aumentou a procura por imóveis em mais de 290% em relação a primeira quinzena de 2018. Desse total, 92% do público são clientes de classe média alta e alta renda.

“Atualmente, a partir de US$ 200 mil você já consegue comprar uma casa em Orlando e ainda uma equipe já cuida da locação dela para gerar renda. Se pensarmos que este valor equivale a um apartamento de 2 quartos em um bairro bom de São Paulo, não é algo inacessível. É incentivado o investimento em imóveis nos Estados Unidos, pois a partir de US$ 500 mil é possível participar do programa EB-5 que dá ‘green card’ aos investidores estrangeiros. O movimento ainda deve aumentar, pois muitos executivos ainda estão de férias ou são donos de empresas e ainda não retornaram para o trabalho. Se as medidas propostas por Paulo Guedes se concretizarem teremos talvez o melhor ano da história da nossa empresa”, finaliza Fernando Bergallo.

Gueratto Press



Veja mais: