Agência da Previdência Social

Cautela com PSL e agenda da Reforma Previdenciária

19 FEV, 2019 / POR: GUERATTO PRESS

Confira a análise do economista-chefe da Nova Futura Investimentos, Pedro Paulo Silveira.

O índice Ibovespa se mantém na região dos 97 mil pontos, com o mercado demonstrando cautela em relação aos desdobramentos da crise do PSL. Apesar de ter sido sinalizada extraoficialmente no final de semana, a demissão de Gustavo Bebianno não foi publicada no Diário Oficial da União. A respeito dos detalhes da operação política em si, o que o mercado está tentando entender são os efeitos dessa situação sobre a agenda da reforma da previdência. A proposta do governo ainda não foi detalhada para os parlamentares e não se sabe como será esse processo de negociação. A emenda constitucional precisa de 308 deputados e 49 senadores para ser aprovada, exigindo muitas negociações por parte de seus propositores.

A semana tem a divulgação de balanços corporativos importantes, como Gerdau, B3, Pão de Açúcar, Magazine Luiza, Telefônica e Itaúsa. Os dados de atividade de dezembro, divulgados na semana passada indicaram desaceleração no comércio. As empresas do segmento poderão mostram em seus balanços do quarto trimestre se essa desaceleração foi suficiente para afetar seus resultados. O cenário em geral, porém, deve continuar mostrando evolução dos indicadores corporativos, beneficiados pelos ajustes efetuados ao longo de 2016 e 2017. A inflação da segunda semana de fevereiro, apurada pelo IBRE-FGV, mostrou desaceleração, indo de 0,53% para 0,34%.

Os principais grupos, alimentação, habitação e transportes, vieram com altas menores e ajudam a consolidar as expectativas de redução da inflação esperada para 2019. O IPCA esperado continua em 3,87% pela pesquisa Focus do BC e a estimativa para o crescimento do PIB caiu de 2,50% para 2,48%. A taxa de juros curta, para 2020, sinaliza a manutenção da SELIC em 6,50%, mas o número de analistas e economistas aceitando a hipótese de queda dos juros tem aumentado. Os argumentos são o da aprovação da reforma da previdência e a manutenção da atividade em um patamar mais modesto que o incialmente imaginado. Mantemos nossa percepção de que os juros, dado o cenário atual, serão mantidos pelo BC. A abertura do mercado mostra que a cautela em relação à política prevaleceu, com o índice caindo cerca de 500 pontos e o dólar subindo cerca de 0,7%. Os juros mais longos, para 2027, subiram cerca de 10 bps, para 9%, refletindo o ligeiro aumento na aversão ao risco.


Sobre a Nova Futura Investimentos
Sócia-fundadora da BM&BOVESPA, a Nova Futura Investimentos, foi fundada em 1983, atua nos mercados de commodities, renda fixa, renda variável e seguros. Com presença nacional, a instituição financeira conta com 21 escritórios espalhados por diversas cidades do país. Ao longo de mais de três décadas de existência, se consolidou como uma das maiores e mais independentes casas de investimentos do Brasil.
Com tradição no mercado institucional, vem se tornando referência no varejo, oferecendo a mesma qualidade já ofertada ao mundo empresarial agora também para pessoas físicas. Em 2017, confirmando a tradição de excelência, a corretora recebeu o selo Nonresident Investor Broker, que reconhece a estrutura organizacional e tecnológica especializada na prospecção de clientes, prestação de serviços de atendimento consultivo assim como execução de ordens e distribuição de produtos da BM&FBovespa para investidores não residentes.


Gueratto Press



Veja mais: