Ações da Bolsa de Valores

Recorde histórico - Bolsa alcança os 100 mil pontos

18 MAR, 2019 / POR: GUERATTO PRESS

"4 especialistas do mercado financeiro comentam sobre o recorde histórico do Ibovespa".

O Ibovespa acaba de bater 100 mil pontos, sendo isso um marco histórico para o mercado financeiro. Várias mudanças estão acontecendo no país, grande expectativa para a Reforma da Previdência, as falas otimistas do ministro da economia, Paulo Guedes, e os juros baixos contribuem para que as pessoas invistam nas ações da bolsa para alcançar maiores rendimentos.

"O cenário local com a espera da reforma previdenciária tem impulsionado a Bolsa de Valores e as previsões otimistas dos analistas aliadas aos juros baixos atraem cada vez mais investidores buscando uma alternativa para a baixa rentabilidade da renda fixa", explica o Economista Pedro Coelho Afonso.
"Como já era previsto no mercado financeiro, o recorde de 100 mil pontos da Bolsa de Valores aconteceu e a tendência é que continue crescendo esse índice. A grande expectativa em relação a Reforma da Previdência, deixa o mercado e os investimentos com bastante otimismo, fazendo a confiança no país voltar a crescer, o que contribui para esse marco", ressalta Daniela Casabona, sócia-diretora da FB Wealth.
"O recorde da Bolsa é nominal e não real. Se corrigirmos pela inflação desde maio de 2008 o Ibovespa estaria próximos de 130 mil pontos. Isso significa que, o brasileiro, que sempre investe na alta e venda na baixa, desta vez, apesar das notícias otimistas, ainda é um bom momento para entrar na renda variável ou quem já está deve aumentar o percentual investido do seu patrimônio. Sempre lembrando da diversificação e que investimento não é cassino", ressalta, Fabrizio Gueratto, financista do canal 1Bilhão Educação Financeira.
"Com o crescimento da confiança no país e com o alcance desse recorde histórico de 100 mil pontos na Bolsa de Valores, o real tende a ser mais valorizado frente ao dólar, o que acaba chamando a atenção dos investidores estrangeiros que também são somados nesse índice, favorecendo esse crescimento", finaliza Fernando Bergallo, diretor de câmbio da FB Capital.

Gueratto Press



Veja mais: