Gráfico

Fechamento semanal em novo recorde?

15 MAR, 2019 / POR: GUERATTO PRESS

"Confira a análise do economista-chefe da Nova Futura Investimentos, Pedro Paulo Silveira".

O fechamento do Ibovespa de hoje pode marcar mais um recorde do mercado acionário brasileiro: o fechamento semanal mais alto. Basta que feche acima dos 97.885 pontos da semana de 17/02. Na semana, o Ibovespa ganhou quase 3 mil pontos, refletindo a continuidade de melhora na percepção de risco em relação ao Brasil. Os juros mais longos, para 2027, por exemplo, caíram de 9,20%, na semana passada, para os atuais 8,95%. O comportamento favorável das bolsas no exterior deve ajudar o Ibovespa ao longo do pregão, apesar da abertura fraca.

Os números de inflação mais recentes, divulgados pela FGV, mostram uma aceleração pontual no final de fevereiro e início de março, nos produtos agrícolas. Esses aumentos se refletiram nos IPCs e nos IPAs, mas não devem fazer pressão sobre as expectativas de inflação para 2019, já que os dados de atividade fraca mostram que o hiato do produto deve seguir alto. Com folga na utilização dos fatores, as altas pontuais da inflação devem ser compensadas ao longo do ano. Hoje a FGV divulgou o IGP-10, que veio em 1,40%, bem mais alto que os 0,40% de fevereiro. Os destaques foram as altas da soja, aves e leite, que pressionaram tanto o IPA como o IPC.

Compensando a alta dos preços e a Pesquisa Mensal do Comércio de ontem (+0,4%), o IBGE divulgou a Pesquisa Mensal de Serviços, que veio com queda de -0,3%, mostrando que a economia brasileira ainda está patinando. A estimação do crescimento para 2019 mostra-se ainda mais desafiador, já que, apesar da melhora do cenário político e da acomodação do setor externo, os indicadores contemporâneos estão enfraquecendo. Nossa estimativa para o PIB de 2019 ainda está ligeiramente acima de 2%, mas ela depende de taxas trimestrais positivas superiores a 0,5% ao longo do ano. A manutenção de um cenário de indicadores fracos, porém, deve nos obrigar a revisar, mais uma vez, o PIB de 2019 para baixo.

Mantivemos nosso call de manutenção da SELIC no próximo COPOM, mas temos um viés de queda para o segundo semestre, baseados na possibilidade de aprovação da reforma da previdência até agosto e na manutenção do hiato em níveis elevados. Apesar de manter a SELIC em 6,5% na próxima reunião, apostamos em 6% para o final de 2019.

Sobre a Nova Futura Investimentos
Sócia-fundadora da BM&Bovespa, a Nova Futura Investimentos, foi fundada em 1983, atua nos mercados de commodities, renda fixa, renda variável e seguros. Com presença nacional, a instituição financeira conta com 21 escritórios espalhados por diversas cidades do país. Ao longo de mais de três décadas de existência, se consolidou como uma das maiores e mais independentes casas de investimentos do Brasil.
Com tradição no mercado institucional, vem se tornando referência no varejo, oferecendo a mesma qualidade já ofertada ao mundo empresarial agora também para pessoas físicas. Em 2017, confirmando a tradição de excelência, a corretora recebeu o selo Nonresident Investor Broker, que reconhece a estrutura organizacional e tecnológica especializada na prospecção de clientes, prestação de serviços de atendimento consultivo assim como execução de ordens e distribuição de produtos da BM&FBovespa para investidores não residentes.


Gueratto Press



Veja mais: