Índice para outros Setores
Setor Financeiro - Bancos
23 de Agosto de 2010
Desempenho
 


Os bancos entregaram resultados bastante similares no primeiro semestre de 2010. De acordo com o analista da Socopa Corretora, Osmar Camilo, o que vem ajudando essas instituições é o crescimento do crédito total do sistema e a queda de provisão para devedores duvidosos. Com isso, a eficiência dessas companhias também tem aumentado. “Desde o quarto trimestre do ano passado, as provisões têm diminuído em virtude da queda contínua da inadimplência e, a princípio, isso deve se manter paralelamente à expansão de 20% do volume de crédito nos próximos anos”, acredita Camilo.

Esse cenário ficou evidente no relatório divulgado pelo Banco Central no final de julho. De acordo com o documento, o estoque total de crédito do Sistema Financeiro Nacional cresceu 19,7% nos últimos doze meses atingindo R$1,529 bilhão no mês de junho. Esse volume passou a representar 45,7 % do PIB, comparativamente a 41,8% em junho de 2009.

A expansão do crédito continuou ocorrendo com maior vigor no segmento de recursos direcionados, impulsionado pelo desempenho das carteiras de financiamento do BNDES, e pela continuada expansão dos financiamentos habitacionais, destaca o BC. O analista da Socopa acredita que o crédito imobiliário vai continuar no foco dos bancos e que, ao longo do ano, os empréstimos dos bancos privados devem ganhar mais espaço, em um movimento oposto ao que ocorreu no ano passado. Segundo o BC, os financiamentos habitacionais, para pessoas físicas e cooperativas, atingiram saldo de R$111,6 bilhões em junho, com evolução acumulada de 21,5% no semestre.
 

                Mercado de Ações
 

Conforme relatório mensal apurado pela BM&FBOVESPA, as ações da maioria dos bancos está positiva e apresenta uma variação bem acima do Ibovespa. As justificativas variam, mas em linhas gerais, elas podem ser atribuídas aos bons resultados divulgados ao longo do primeiro semestre e, especialmente, ao ganho de eficiência e sinergia que essas empresas têm apresentado.

 
Opinião do Mercado
 

Laura Lyra Schuch
Analista Ativa Corretora
Relatórios 28 e 29 de julho
(pareceres emitidos após divulgação de resultados)

Bradesco

Visão ATIVA – Positivo. Mesmo diante de menores ganhos com tesouraria na comparação anual, o resultado bruto da intermediação financeira do Bradesco foi fortemente impactado por uma combinação favorável de crescimento da margem financeira aliado a menores despesas com PDD. Entre os destaques positivos do trimestre, listamos a melhora do índice de eficiência do banco, a queda da inadimplência, a redução das despesas com PDD e a recuperação do ROAE na comparação trimestral. Em suma, o resultado do 2T10 corrobora nosso view de recuperação dos números do banco para 2010.

Recomendação:
Entendemos que o Bradesco, dada sua extensa capilaridade, está bem posicionado para se aproveitar do cenário de expansão que esperamos para o setor como um todo em 2010, diante da retomada do crescimento do crédito, queda da inadimplência e aumento das taxas de juros.

Mantemos nossa recomendação de COMPRA para as ações do Bradesco, com preço-justo de R$ 41,49/ação para dez/2010, o que reflete um upside de 35% (em relação à data do relatório, ou seja, logo após a divulgação dos resultados do segundo trimestre de 2010).

Santander

Visão ATIVA – Neutro, uma vez que o resultado do banco veio em linha nossas estimativas,
principalmente em relação ao lucro líquido. Entre os destaques positivos do resultado, comentamos a normalização das operações de crédito, com ênfase para o segmento de pequenas e médias empresas, que no 1T10 apresentou evolução irregular devido à falta de profissionais na área de middle para atender à crescente demanda. Acreditamos que o Santander tenha sanado o problema, estando pronto para se beneficiar da conjuntura macroeconômica favorável para evolução de suas operações de crédito, que devem se intensificar a partir do 3T10, quando a integração total das agências já tiver sido realizada.

Recomendação:
Mantemos nossa recomendação de COMPRA para as ações do Santander, com base no
preço-alvo de R$ 31,86/ação para jun/11, o que reflete um potencial de valorização de39%.
 


 

Pedro Galdi
Analista Chefe da Corretora SLW
Relatório dia 18 de agosto


Banco do Brasil

A instituição divulgou o resultado do 2T10 dentro das expectativas do mercado. Alguns destaques são a Margem financeira Bruta ficou 11% acima do mesmo trimestre de 2009 e estável em relação ao trimestre anterior. A provisão para devedores duvidosos mostrou redução, levando o Banco do Brasil a registrar lucro líquido recorrente de R$ 2,3 bilhões o 2T10, ou 13% acima do resultado divulgado no trimestre anterior. O cenário de atuação para o Banco do Brasil se mostra muito positivo para o próximo trimestre, considerando o crescimento aguardado para a economia brasileira. Por outro lado, a instituição acabou de finalizar uma captação no mercado de ações, que a tornará muito agressiva no mercado de crédito.

Recomendação:
As expectativas são positivas e a instituição deve ampliar sua agressividade mercadológica, o que favorece na ampliação de lucratividade e retorno sobre patrimônio líquido. Estamos retomando nossa recomendação de compra para as ações ON do Banco do Brasil, após finalizado o período de restrição. Nosso preço-justo é de R$ 37,30.



Victor Martins
Analista Planner Corretora
Relatórios 04 e 08 de agosto
(pareceres emitidos após a divulgação dos resultados)

ItaúUnibanco


O Lucro Líquido recorrente do trimestre em linha com o esperado. Isso demonstra a capacidade do banco entregar resultados consistentes. Porém o crescimento mais modesto da sua carteira de crédito pela maior exposição no segmento de grandes empresas entre outras razões resultou em um crescimento do lucro de apenas 4% ante o trimestre anterior. Esta evolução também pode ser explicada pelo aumento das despesas operacionais oriundas em parte pelos gastos com propaganda relacionados à Copa do Mundo e pela aceleração do processo de migração das agências do Unibanco para a plataforma do Itaú, o qual deve ser concluído em quatro meses, entre outubro e novembro deste ano.

Foco na integração e crescimento orgânico. O banco acelerou o processo de migração das agências do Unibanco na plataforma do Itaú. A integração total, envolvendo todas as áreas, só deverá ocorrer no primeiro trimestre de 2011, dado que algumas plataformas, como a de cartões, por exemplo, ainda não foram unificadas. Com isso, a expectativa é de que os ganhos com sinergias decorrentes da fusão só sejam integralmente capturados em 2012. Adicionalmente o banco manteve a meta de abrir 150 agências neste ano. As metas de internacionalização do banco na América Latina continuam em segundo plano.

A receita de Serviços manteve-se em patamar elevado. E refletiram o aumento da base de clientes, a elevação das receitas de operações de crédito, o acréscimo das receitas de cartão de crédito, e a intensificação das atividades de banco de investimento.

As operações de crédito avançaram 4% em bases trimestrais. Ao final de junho de 2010 a carteira de crédito, incluindo operações de avais e fianças, somava R$ 296 bilhões com acréscimo de 11% em bases anuais. O crescimento, porém veio abaixo do esperado e dos seus concorrentes diretos. Como destaque no trimestre, tivemos o crescimento de 12% das operações de crédito imobiliário para R$ 10,5 bilhões e a evolução de 6,7% para R$ 68,6 bilhões do saldo das operações de crédito de micro, pequenas e médias empresas. A alta do crédito reduziu o Índice de Basiléia de 17,3% para 15,7% em base trimestral, mas ainda acima do mínimo exigido de 11%.

Recomendação: Mantemos nossa visão positiva para o banco e temos manutenção para suas ações com preço alvo de R$ 45,30 por ação.

Banco Daycoval
A instituição é especializada no crédito para pequenas e médias empresas e empréstimo consignado, seus dois principais segmentos. Assim, grande parte do resultado veio do crescimento das operações de crédito aliado a redução de despesas com provisão para devedores duvidosos, e com despesas operacionais estáveis no mesmo período de comparação. O banco espera a manutenção das margens em patamares similares à dos últimos trimestres, continua redução da inadimplência e ROE mais elevado.

A estratégia adotada pelo Daycoval foi privilegiar as operações de baixo valor unitário, especialmente as linhas de capital de giro, para empresas com receita anual inferior a R$ 150 milhões. Ainda, segundo o banco, a forte demanda por crédito exigiu disciplina para focar em margens maiores, o que resultou em resultados melhores e manutenção dos spreads.

Recomendação:
Mantemos nossa visão positiva para o banco com preço justo de R$ 11,90 por ação e opção de compra.

 


voltar ao topo

Indicadores
Empresa ► Alfa Holding Bco ABC Bco Amazonia Bco Brasil Bicbanco Banestes Banrisul Bradesco Cruzeiro do Sul
  Dados▼ RPAD5 ABCB4 BAZA3 BBAS3 BICB4 BEES4 BRSR6 BBDC4 CZRS4
Nível Gov. Corporativa - N2 - NM N1 - N1 N1 N1
PL 2tr09 R$ MM 517,21 1.159,47 1.929,93 32.360,17 1.698,42 623,92 3.198,25 37.276,77 622,17
PL 2tr10 R$ MM 589,02  1.279,07 1.936,16 39.331,84 1.867,06 719,42 3.590,13 44.295,32 647,73
LL 2tr09 R$ MM 8,78  35,39 41,15 2.348,09 81,97 37,91 104,22 2.297,34 30,66
LL 2tr10 R$ MM 12,02  50,17 100,39 2.725,40 98,10 37,88 183,13 2.405,32 18,36
Variacao LL 2T10(%) 36,90 41,78 143,98 16,07 19,69 (0,09) 75,71 4,70 (40,13)
ROE 2T10(%) 2,04  3,92 5,18 6,92 5,25 5,26 5,10 5,43 2,83
Índices Bovespa                  
Ibovespa .. ..
IBRX-50 .. ..
IBRX .. .. ..
IGC .. .. .. .. .. ..
Itag .. .. .. .. .. ..
ISE .. ..
IVBX2
MLCX       ..       ..  
SMLL .. .. .. ..
ICON
INDX
IEE
IMOB
ITEL
IFNC .. .. .. .. ..
Empresa ► Daycoval Indusval ItaúUnibanco Mercantil do Brasil Nordeste Panamericano Paraná Pine Santander Sofisa
  Dados▼ DAYC4 IDVL4 ITUB4 BMEB4 BNBR4 BPNM4 PRBC4 PINE4 SANB11 SFSA4
Nível Gov. Corporativa N1 N1 N1 - - N1 N1 N1 N2 N2
PL 2tr09 R$ MM 1.631 452,37 47.269,50 531,38 1.909,19 1.259.831 804,54 811,28 49.382,36 851,04
PL 2tr10 R$ MM 1.668,02 429,68 55.073,96 673,39 2.060,75 1.370,92 796,53 853,30 65.324,65 759,78
LL 2tr09 R$ MM 38,53 8,11 2.570,90 12,42 125,32 15,55 33,82 35,61 587,50 2,05
LL 2tr10 R$ MM 64,16 8,26 3.164,95 7,30 44,10 (11,50) 31,84 21,80 1.001,71 27,17
Variacao LL 2T10(%) 16,67 1,90 23,11 (41,22) (64,81) (173,92) (5,86) (38,77) 70,50 1.225,87
ROE 2T10(%) 3,84 1,92 5,74 1,08 2,13 NE 3,99 2,55 1,53 3,57
Índices Bovespa                    
Ibovespa ..
IBRX-50 ..
IBRX .. ..
IGC .. .. .. .. .. ..
Itag .. .. .. .. .. ..
ISE ..
IVBX2
MLCX     ..              
SMLL   ..     .. ..   ..
ICON
INDX
IEE
IMOB
ITEL
IFNC .. .. ..

Informações Relevantes:
Do grupo Alfa, também há ações negociadas da Alfa Investimentos e da Alfa Consórcio. Seus resultados não são consolidados.
O Banco Mercantil também tem o braço Investimentos listado na BM&FBOVESPA. Seus resultados não são consolidados.
Banpara e Banco de Brasília não haviam divulgado resultados.
As ações do Santander entraram na prévia para a carteira do Ibovespa.
NE - Não Existe
Fonte: Relatório das Empresas e Bovespa

voltar ao topo
                Governança Corporativa
Empresas

Pay out

Periodicidade

Tag Along ON PN Conselheiros Independentes
Alfa Holding 25% Semestral Não Sim
ABC 25% Anual 100% ON e PN Sim
Amazonia 25% Semestral Não Não
Brasil

50%

Semestral 100% Sim
Bicbanco 25% Semestral 100% ON e PN Sim
Banestes 25% Semestral ou Anual Não Sim
Banrisul 25% Anual 100% ON e PN Sim
Bradesco 30% Mensal 80% ON e PN Sim
Cruzeiro do Sul 25% Anual 100% ON e PN Sim
Daycoval 25% Anual 100% ON e PN Sim
Indusval 25% Anual 100% ON e PN Sim
ItaúUnibanco 25% Anual 80% ON e PN Sim
Mercantil do Brasil 25% + 10% PN Semestral Não Sim
Nordeste 25% Semestral Não Sim
Panamericano 25% Anual 100% ON e PN Sim
Paraná 25% Anual 100% ON e PN Sim
Pine 25% Anual 100% ON e PN Sim
Santander 50% Anual 100% ON e PN Sim
Sofisa 25% Anual ou Semestral 100% ON e PN Sim


Informações Relevantes:

Payout é o percentual pago do lucro líquido em forma de dividendos e juros sobre capital.
Conselheiro Independente, de acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC): O Conselho da organização deve, preferencialmente, ter maioria de conselheiros independentes. O conselheiro independente se caracteriza por: Não ter qualquer vínculo com a organização, exceto eventual participação de capital; não ser acionista controlador, membro do grupo de controle, cônjuge ou parente até segundo grau destes, ou ser vinculado a organizações relacionadas ao acionista controlador;não ter sido empregado ou diretor da organização ou de alguma de suas subsidiárias; não estar fornecendo ou comprando, direta ou indiretamente, serviços ou produtos à organização;não ser funcionário ou diretor de entidade que esteja oferecendo serviços ou produtos à organização;não ser cônjuge ou parente até segundo grau de algum diretor ou gerente da organização;não receber outra remuneração da organização além dos honorários de conselheiro (dividendos oriundos de eventual participação no capital estão excluídos desta restrição)No Novo Mercado é obrigatório que 20% dos conselheiros sejam independentes.
Para as empresas que não especificamos o direito ou não de Tag Along para as ações preferenciais, significa que elas têm somente uma classe de ação, a Ordinária (ON).
As informações citadas acima são determinadas em estatuto e, no caso dos dois primeiros itens, podem ser feitos diferentemente na prática. Os dados da CSN dizem respeito à prática
da companhia nos últimos anos.
Fonte: site das companhias e BM&FBovespa (Tag Along)
 

Acesse também Agenda dos Resultados 2T10 & Cotações GC

voltar ao topo


Elaborado e editado pela jornalista Grazieli Inticher Binkowski

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Acionista.com.br
Atendendo a instrução CVM nº 388 de 30/04/2003, o analista entrevistado pelo Acionista.com.br declara que:
I – As recomendações expressas pelo analista entrevistado e publicadas pelo Acionista.com.br, refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais, e que foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à instituição à qual esteja vinculado, se for o caso;
II – O analista entrevistado não mantém vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado;
III – A instituição à qual o analista entrevistado pelo Acionista.com.br está vinculado, quando for o caso, bem como os fundos, carteiras e clubes de investimentos em valores mobiliários por ela administrados não possui participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, ou está envolvida na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado;
IV – O analista entrevistado não é titular, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão da companhia objeto de sua análise, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de seu patrimônio pessoal, ou esteja envolvido na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado;
V – O analista entrevistado pelo Acionista.com.br ou instituição à qual esteja vinculado não recebe remuneração por serviços prestados ou apresenta relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta companhia; e
VI – A remuneração do analista entrevistado ou esquema de compensação do qual é integrante não está atrelada à precificação de quaisquer dos valores mobiliários emitidos por companhias analisadas no relatório, ou às receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela instituição a qual está vinculado, se for o caso.


Advertência: As informações econômico financeiras apresentadas no Acionista.com.br são extraídas de fontes de domínio público, consideradas confiáveis. Entretanto, estas informações estão sujeitas a imprecisões e erros pelos quais não nos responsabilizamos.
As opiniões de analistas, assim como os dados e informações de empresas aqui publicadas são de responsabilidade única de seus autores e suas fontes.
O objetivo deste portal é suprir o mercado e seus clientes de dados e informações bem como conteúdos sobre mercado financeiro, acionário e de empresas. As decisões sobre investimentos são pessoais, não podendo ser imputado ao acionista.com.br nenhuma responsabilização por prejuízos que eventualmente investidores ou internautas, venham a sofrer.
O acionista.com.br procura identificar e divulgar endereços na Internet voltados ao mercado de informação, visando manter informado seus usuários mais exigentes com uma seleção criteriosa de endereços eletrônicos. Essa divulgação é de forma única, e os domínios divulgados são direcionados a todos os internautas por serem de domínio público. Contudo, enfatizamos que não oferecemos nenhuma garantia a sua integralidade e exatidão, não gerando portanto qualquer feito legal.