Índice para outros Setores
Serviços Educacionais  
23 de março de 2010
Desempenho

O ensino à distância é apontado pelos analistas do setor como um dos drivers. Dados do Ministério da Educação (MEC) apontam para mais de 5 milhões de estudantes nesta modalidade. As empresas de capital aberto vêm dando cada vez mais espaço a ela. A Anhanguera é uma das instituições que tem mais alunos através deste modulo,e tem elevado, por isso, o número de pólos educacionais, através da aquisição de unidades prontas. Uma das exigências para este tipo de ensino é a proximidade física aos alunos. Comprando faculdades menores, a empresa tem conseguido esta aproximação em diversos locais do país.

A Fator Corretora destacou em relatório de análise que o EAD, como é conhecido o ensino à distância, foi um dos destaques do Censo Escolar 2008 (Educacenso). Os cursos tecnológicos e o EAD tiveram forte aumento do número de matrículas, de 24,8% e 78,5%, respectivamente, o que mostra que esses segmentos são os principais vetores de crescimento do setor para os próximos anos. Outro dado relevante do Censo é a evolução do número de cursos de EAD em instituições privadas. Em 2005 e 2006 o número de cursos cresceu 70,6% e 93,1%, respectivamente, sobretudo em função da complacência do MEC em permitir a abertura de novos pólos e turmas. Em 2007 aumentaram o rigor para o credenciamento de novos pólos e as exigências para manutenção das autorizações, o que restringiu o crescimento do número de cursos a apenas 16,1% no ano. O rigor foi mantido em 2008 e 2009 e deve continuar nos próximos anos.

                Mercado de Ações
 

O setor é composto por poucos papéis e todos considerados de pequena capitalização (small caps). Pela liquidez não tão elevada, ele também não sofreu no período mais conturbado, como demonstra a variação final com que os papéis terminaram 2008: a Anhanguera com (68,15)%, a Estácio com (16,72)%, a Kroton com (55,54)%, e a SEB com (62)%, conforme dados apurados pelo Acionista.com.br . No ano passado, essas companhias recuperaram as suas perdas e tiveram ganhos percentuais maiores que o Ibovespa. Respectivamente, as cotações encerram com ganhos de 105,37%, 98,4%, 44,58% e 144,53% em 2009. A Anhanguera é a empresa mais líquida do setor, com volume negociado de R$ 10,2 milhões por dia, marca conquistada especialmente após a realização da terceira oferta pública de ações.
 

Opinião do Mercado

Ricardo Martins
Analista chefe do dep. Pesquisa
Planner Corretora
Informações publicadas em relatórios divulgados entre os dias 15/03 e 19/03

A Estácio Participações divulgou bons números no quarto trimestre de 2009, diferentemente da Kroton e da SEB. A empresa começou suas operações no Rio de Janeiro a mais de 40 anos, hoje possui cerca de 202 mil alunos divididos em 77 campi, sendo 37 no Estado de sua origem. A receita líquida da companhia foi de R$ 244 milhões, queda de 3% em relação ao 4T08. No ano foi pouco mais de R$ 1 bilhão, aumento de 3%. O lucro líquido no trimestre ficou em R$ 11 milhões, contra um prejuízo de R$ 15 milhões no 4T08. No ano o lucro cresceu 71%, para R$ 64 milhões. O EBITDA foi de R$ 22 milhões, contra um número muito pequeno no 4T08. No ano o EBITDA cresceu 43%, para R$ 43 milhões. A razão para este lucro maior foram as menores despesas com SG&A.

A Kroton, uma das maiores organizações educacionais do Brasil, com atuação no ensino superior desde 2001 e no ensino básico desde a década de 70, publicou as demonstrações financeiras do 4T09 e anunciou oficialmente a aquisição da Luni Educacional. Com a aquisição a Kroton terá ao todo, mais de 86 mil alunos matriculados no ensino superior, 265 mil aluno no ensino básico e 720 escolas associadas.

A instituição teve um aumento de 7,2% na receita líquida no 4T09 contra o mesmo período do ano anterior, para 70 milhões de reais. Considerando o ano todo, a receita líquida aumentou 25%, para R$ 342 milhões. O EBITDA e o lucro líquido que estavam quase zerados no 4T08, ficaram em aproximadamente R$ 50 milhões negativos. No ano, ambas medidas ficaram próximos de zero. O resultado ruim do 4T09 foi devido a custos chamados não recorrentes devidos a despesas pós unidades vendidas e baixas em contas a receber.

A SEB atua no ensino básico (72% da receita bruta) e superior, ensino à distância de universidades e soluções de ensino (material didático). Está em seu 3º ano após IPO e em 2009 cresceu bastante via aquisições. Dentre as aquisições estão Dom Bosco, Pueri Domus e COC, grandes redes de ensino básico. Além disso, a empresa mantém foco no investimento na base para crescimento orgânico, investindo principalmente em tecnologia e alteração do perfil do aluno das universidades menos lucrativas.

No último trimestre de 2009, a companhia elevou em mais de 30% o número de alunos matriculados, para 66 mil, com destaque para o ensino à distância. A alta de 57% na receita líquida no 4T09 em relação ao 4T08, para R$ 91 milhões, também foi expressiva. Porém, tiveram queda de mais de 50% o lucro líquido no trimestre, para R$ 1,5 milhão. No ano, houve aumento nessa mesma métrica de 14%, para R$ 53 milhões, mas com menores margens dado o maior custo com os serviços vendidos, causado pela demora na integração das atividades das marcas adquiridas em 2009. O EBITDA ficou em R$ 4,7 milhões no 4T09, contra R$ 0,7 milhão no 4T08. No ano, aumento de 34% para R$ 64 milhões. A margem ficou estável.

Recomendação: Dentro do setor, a Anhanguera parece continuar sendo o melhor player. A SEB também não teve resultados muito bons, como a sua concorrente Kroton. Para Kroton, a recomendação é esperar para vermos se a nova aquisição trará os ganhos de sinergia esperados.


Gustavo Lobo
Analista da Fator Corretora

Relatório* – Book 2010
*Produzido antes da divulgação dos resultados consolidados de 2009

Como esperávamos, o ano de 2009 foi marcado pelo arrefecimento do processo de consolidação do setor educacional. Os grandes grupos preferiram preservar o caixa e aproveitaram para “digerir” as várias aquisições feitas no ano anterior. O resultado foi expansão da receita menor que no ano anterior e melhora de margens operacionais (ou queda em menor magnitude). Contudo, a combinação de um número menor de entrantes e maiores despesas com vendas, seja em marketing para captação ou em PDD, limitou a melhoria de margem que seria esperada pela interrupção das aquisições.

Em 2010, a retomada do ambiente econômico será favorável ao setor. O investidor deve ficar atento a eventos ao longo do ano, como os seguintes: (i) Volta das aquisições. O mercado continua amplo, crescente e fragmentado, portanto favorável à consolidação. Acreditamos que a segunda onda será liderada pela Kroton, em função do reforço de caixa e das mudanças na administração. O perfil dos alvos de aquisição também deve mudar. (ii) Ganhos de margem. A continuidade da maturação dos campi e do processo de integração das unidades adquiridas deve gerar melhorias e a reestruturação da Estácio pode começar a gerar impactos mais relevantes. Aquisições podem limitar esse efeito. (iii) Ensino a distância (EAD). O EAD continua como grande promessa em razão do custo de expansão baixo, da mobilidade e da alta rentabilidade. A dúvida é qual será o tamanho do crescimento. (iv) Pós-graduação e cursos preparatórios. Após a expansão dos cursos de graduação, cresce a demanda por cursos de extensão e preparatórios para concursos públicos. A concorrência pode se acirrar em 2010. (vi) Novas listagens. Com a volta do ambiente favorável ao setor e melhora das condições de mercado, outros grupos educacionais podem vir a emitir ações em 2010.

Recomendação: Acreditamos que as empresas estão bem posicionadas para a retomada em 2010: a continuidade da maturação das unidades adquiridas em 2008 deve permitir aumento da receita combinado à melhoria de margens. Além disso, o crescimento (orgânico e aquisições) deve ser mais significativo que em 2009. Por isso, temos COMPRA para Kroton, ATRAENTE para SEB e MANUTENÇÃO para Estácio.


Anhanguera Educacional
Webconferência de Resultados - dia 22/03/2010
Apresentação de Ricardo Leonel Scavazza – vice-presidente de Operações e Relações com Investidores

A adoção de um novo modelo de financiamento do Capex e das mensalidades atrasadas foi um dos objetivos anunciados para 2010 pela Anhanguera Educacional durante teleconferência de resultados. O acordo exclusivo com uma instituição financeira está sendo estudado para substituir a utilização de recursos próprios, e a capitalização por meio de financiamento bancário. Em 2009, a companhia investiu R$ 108,8 milhões, 37,7% menos que 2008. Este valor compreende a preparação de quatro novos campus, que serão lançados este ano, ampliações e adequações das estruturas nas unidades adquiridas, e a expansão/maturação das unidades orgânicas. O ano passado foi o único, dos últimos anos, em que a empresa não fez aquisições, seguindo o comportamento de todo o setor.

A implementação do modelo de negócio da empresa nos campus adquiridos em 2007 e 2008 ainda está em fase de finalização. No entanto, o processo já começou a contribuir com a margem total da companhia. A média das margens das 25 unidades da empresa que são próprias ficou em 46% no ano passado. A das 16 unidades compradas em 2008 ficou em 26%. Até 2011, a empresa espera alcançar uma margem bruta em torno total de 45% e 50%. Em 2009, ela foi um pouco acima de 42%, cerca de 2 p.p. maior que no ano anterior, impactada positivamente pelo incremento apresentado no quarto trimestre.

No consolidado de 2009, o Ebitda aumentou 44,3% e totalizou R$ 188,6 milhões. A receita líquida cresceu 38,3%, ficando em R$ 904,5 milhões. Contribuíram para os resultados o incremento orgânico de 15% dos alunos. No final do ano, a Anhanguera tinha quase 150 mil alunos, uma expansão de mais de 25% em relação a 2008. Os alunos dos pólos, ou seja, da modalidade de educação à distância, aumentaram em 167,3%, totalizando mais de 107 mil pessoas.


voltar ao topo

Indicadores
Empresa ►

Anhanguera

Estácio Kroton

SEB

  Dados▼ AEDU11 ESTC3 KROT11 SEBB11
Nível Gov. Corporativa N2 NM N2 N2
PL 2008 R$ MM 977,90 421,08 434,01 283,15
PL 2009 R$ MM 1.050,70 458,04 795,07 317,22
LL 2008 R$ MM 79,40 37,64 30,56 25,73
LL 2009 R$ MM 95,20 64,28 (8,10) 55,36
Variacao LL 2009 (%) 19,90 70,80 (126,52) 115,19
ROE 2009(%) 9,06 14,03 NE 17,45
Índices Bovespa        
Ibovespa . . . .
IBRX-50 . . . .
IBRX . . . .
IGC . . .. ..
Itag .. . .. ..
ISE . . . .
IVBX2 . . . .
MLCX . . . .
SMLL ... .. ... .
ICON ... . . .
INDX . ... . .
IEE . . . .
IMOB . . . .
ITEL . . . .
IFNC . . . .

Informações Relevantes:
ROE - Retorno - lucro líquido sobre patrimônio líquido consolidados
NE - Não Existe
Fonte: Bovespa

voltar ao topo
                Governança Corporativa
Empresas Periodicidade Dividendos/ano %Dividendo LL Tag Along (On) e (PN) Conselheiros Independentes
Anhanguera Anual

1%

100% Sim
Estácio Anual

25%

100% Sim
Kroton Anual

25%

100% Sim
SEB Anual

25%

100% Sim

As informações citadas acima são determinadas em estatuto e, no caso dos dois primeiros itesn, podem ser feitos diferentemente na prática.

Outras Informações:
Definição de Conselheiro Independente, de acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC): O Conselho da organização deve, preferencialmente, ter maioria de conselheiros independentes. O conselheiro independente se caracteriza por: Não ter qualquer vínculo com a organização, exceto eventual participação de capital; não ser acionista controlador, membro do grupo de controle, cônjuge ou parente até segundo grau destes, ou ser vinculado a organizações relacionadas ao acionista controlador;não ter sido empregado ou diretor da organização ou de alguma de suas subsidiárias; não estar fornecendo ou comprando, direta ou indiretamente, serviços ou produtos à organização;não ser funcionário ou diretor de entidade que esteja oferecendo serviços ou produtos à organização;não ser cônjuge ou parente até segundo grau de algum diretor ou gerente da organização;não receber outra remuneração da organização além dos honorários de conselheiro (dividendos oriundos de eventual participação no capital estão excluídos desta restrição)No Novo Mercado é obrigatório que 20% dos conselheiros sejam independentes.

Fonte: site das companhias

Acesse a Agenda de Resultados 4T09

voltar ao topo


Elaborado e editado pela jornalista Grazieli Inticher Binkowski

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Acionista.com.br
Atendendo a instrução CVM nº 388 de 30/04/2003, o analista entrevistado pelo Acionista.com.br declara que:
I – As recomendações expressas pelo analista entrevistado e publicadas pelo Acionista.com.br, refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais, e que foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à instituição à qual esteja vinculado, se for o caso;
II – O analista entrevistado não mantém vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado;
III – A instituição à qual o analista entrevistado pelo Acionista.com.br está vinculado, quando for o caso, bem como os fundos, carteiras e clubes de investimentos em valores mobiliários por ela administrados não possui participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, ou está envolvida na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado;
IV – O analista entrevistado não é titular, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão da companhia objeto de sua análise, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de seu patrimônio pessoal, ou esteja envolvido na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado;
V – O analista entrevistado pelo Acionista.com.br ou instituição à qual esteja vinculado não recebe remuneração por serviços prestados ou apresenta relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no relatório divulgado, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta companhia; e
VI – A remuneração do analista entrevistado ou esquema de compensação do qual é integrante não está atrelada à precificação de quaisquer dos valores mobiliários emitidos por companhias analisadas no relatório, ou às receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela instituição a qual está vinculado, se for o caso.


Advertência: As informações econômico financeiras apresentadas no Acionista.com.br são extraídas de fontes de domínio público, consideradas confiáveis. Entretanto, estas informações estão sujeitas a imprecisões e erros pelos quais não nos responsabilizamos.
As opiniões de analistas, assim como os dados e informações de empresas aqui publicadas são de responsabilidade única de seus autores e suas fontes.
O objetivo deste portal é suprir o mercado e seus clientes de dados e informações bem como conteúdos sobre mercado financeiro, acionário e de empresas. As decisões sobre investimentos são pessoais, não podendo ser imputado ao acionista.com.br nenhuma responsabilização por prejuízos que eventualmente investidores ou internautas, venham a sofrer.
O acionista.com.br procura identificar e divulgar endereços na Internet voltados ao mercado de informação, visando manter informado seus usuários mais exigentes com uma seleção criteriosa de endereços eletrônicos. Essa divulgação é de forma única, e os domínios divulgados são direcionados a todos os internautas por serem de domínio público. Contudo, enfatizamos que não oferecemos nenhuma garantia a sua integralidade e exatidão, não gerando portanto qualquer feito legal.