22 perguntas que normalmente recebemos

Se não for a sua dúvida, não tem problema, nos envie sua pergunta por e-mail que teremos o prazer de responder!

*Encontre a resposta clicando nas abas.

Por mais que se faça um estudo ou que tenha analistas realizando previsões sobre os diferentes tipos de investimentos, a resposta correta para esta pergunta é que em renda variável não há garantias de alta ou baixa. Sim, é possível estudar e gerar tendências, mas nunca terá 100% de certeza.

Isso acontece porque no dia-a-dia (curto prazo) as variações dos preços das ações oscilam em função de expectativas, e não baseado nos fatos e nas previsões.

A pergunta adequada é: Qual investimento melhor se adequa a situação em que estou no momento?

É preciso levar em consideração o perfil que o investidor se qualifica, quais objetivos que deseja obter, que nível de risco está disposto a tomar, entre outros detalhes capazes de filtrar e encontrar o melhor e mais adequado investimento.

Além de saber a quantia disponível de investimento, é necessário considerar outros 3 fatores: qual o prazo que se deseja para o investimento, que tipo de risco esta disposto a assumir e qual o objetivo do investimento.

Ex: Se o investimento for com objetivo de longo prazo e com possibilidade de assumir riscos, a Bolsa de Valores é uma boa alternativa.

Não existe uma única resposta para essa pergunta. Vários fatores podem interferir no desempenho diário de uma Ação, pois sua oscilação depende de especulações de acionistas que decidem comprar ou vender a ação.

Alguns fatores capazes de influenciar no desempenho da Ação: política, anúncio de investimento ou de dívidas, expansão de mercado, apresentação de resultados, notícias da concorrência, desempenho, etc.

Estar consciente destas possibilidades, atento às notícias e ter conhecimento de que tipo de setor a ação pertence é importante tanto para responder alguns porquês como para realizar suas próprias análises.

A resposta para essa pergunta pode ser extremamente subjetiva. Pois é necessário saber que tipo (estilo) de vida é possível e se pretende manter. Com isso, calcular possíveis gastos no momento da aposentadoria e considerar um estimado de inflação para cálculo mais preciso.

Vários especialistas se arriscam com algumas recomendações, dizendo que é possível acumular o suficiente para ter o equivalente a 60%, 70% ou 80% de sua renda atual; Para cálculo de inflação, ter como base anual de 5% a 10%; Recomendam recalcular a cada 5 anos para saber se o total poupado é compatível com o período previsto para se aposentar; E outros.

4 mitos que todo investidor iniciante acredita sobre a bolsa de valores

Existe apenas um tipo de aplicação que é possível prever o quanto se ganhará no futuro, que são os investimentos pré-fixados. Pois se paga um taxa de juros (determinada no momento que é feito o investimento) sobre o valor investido.

Todos os investimentos possuem riscos, alguns maiores que outros, mas eliminar completamente o risco é impossível.

Com isso, é importante analisar a relação "Risco x Retorno", que se refere ao quanto investidor esta disposto a arriscar para obter o retorno que deseja para então tomar as suas decisões.

É onde se integra operações de Bolsa de Valores e de Bolsa de Mercadorias e Futuros. Na Bolsa de Valores se compra e vende ações de companhias de capital aberto, as negociações são intermediadas por corretoras, que recebem as ordens (de compra ou de venda) de investidores, para então efetuar as operações.

1° passo: Ter uma conta bancária.

2° passo: Abrir uma conta em uma corretora.

3° passo: Transferir o dinheiro que se deseja investir para a conta que foi aberta na corretora.

Após esses processos a corretora lhe dará um acesso para Home Broker onde você pode compra e vender por sua conta. Ou pode entrar em contato com algum Agente Autônomo de Investimento para efetuar a operação que for ordenada.

Saiba qual o melhor Título do Tesouro para você

Quando se investe em ações, o investidor organiza e coordena sua própria carteira, decidindo, quando comprar mais ou vender ações, quais papéis adquirir, qual quantidade, qual estratégia devido ao tipo de papel etc. Já aquele que investe em Fundo de Ações, deixa nas mãos de um especialista para analisar e operar nos investimentos com melhores oportunidades, sendo importante para o investidor ter conhecimento do histórico do gestor, de suas políticas de investimentos e seus custos.

É possível considerar que os principais riscos, são:

→ Risco de Mercado: Refere-se aos riscos de oscilação nos preços;
→ Riscos de Liquidez: Está ligado na impossibilidade de vender ou negociar o ativo;
→ Risco de Crédito: Inadimplência, onde um dos lados não honra suas obrigações;
→ Risco Operacional: Falha ou fraude no processo de operação;
→ Risco Legal: Associados à legalização de contratos e cláusulas.

Primeiramente é preciso listar seus objetivos e ter conhecimento das opções que se enquadram ao seu perfil de investidor.

Nesta lista pode constar: capital disponível para investimento, tempo que se deseja investir, risco que é possível assumir, para que servirá o investimento, entre outros.

A bolsa de valores é o mercado organizado onde se negociam ações de sociedades de capital aberto (públicas ou privadas) e outros valores mobiliários. Utilizam sistemas eletrônicos de negociação para efetuar compras e vendas desses valores.

A bolsa deve preservar elevados padrões éticos de negociação, divulgando - com rapidez, amplitude e detalhes - as operações realizadas. Sendo reguladas e fiscalizadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e possuem ampla autonomia para exercerem seu papel de auto-regulamentação sobre as corretoras de valores que nela operam.

As corretoras de valores são instituições financeiras responsáveis por intermediar a compra e venda de títulos financeiros para seus clientes.

5 passos para viver de renda

Os possíveis riscos, são:

→ Risco de Liquidez: Dificuldade de encontrar compradores;
→ Risco de Mercado: Referente à desvalorização da ação.

É uma ferramenta de negociação on-line que permite a compra e venda de ações pela internet.

Empresa de capital aberto é uma sociedade anônima cujo capital social é formado por ações, aquele investidor que adquirir uma ação passa a fazer parte da empresa (tornando-se acionista). Essas ações são livremente negociadas no mercado da Bolsa de Valores ou no mercado de Balcão sem necessidade de escrituração pública de propriedade.

É importante estar consciente dos riscos envolvidos e avaliar o potencial do investimento para cumprir com suas expectativas. Além disso, estar atento às notícias do mercado financeiro, da economia do país e em todos os fatores que de alguma maneira podem vir a afetar no resultado de seu investimento, para que assim, seja possível prevenir e se proteger com algum eventual contratempo.

Você não corre risco de perder suas ações (apenas corre o risco de perder o dinheiro depositado que não foi aplicado). A Ação adquirida está custodiada na CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia).

Primeiramente esteja ciente de que esta instituição financeira esteja devidamente credenciada na pelos órgãos reguladores da SFN (Sistema Financeiro Nacional).

Após isso, é importante levar em consideração que todas instituições financeiras estão em busca de resultados, onde dentro delas possuem ofertas de investimento convenientes para o investidor e outros para a própria instituição. Então perguntar onde é melhor investir não é a pergunta correta, mas sim qual dessas instituições me oferece o melhor investimento? Comparando, o investidor poderá decidir onde e qual investimento aderir de acordo ao que se enquadra aos seus objetivos individuais.

Conforme o Banco Central, O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que administra um mecanismo de proteção aos correntistas, poupadores e investidores, que permite recuperar os depósitos ou créditos mantidos em instituição financeira, até R$ 250.000,00, em caso de intervenção, de liquidação ou de falência.

São garantidos: Depósitos à vista ou sacáveis mediante aviso prévio; depósitos de poupança; depósitos a prazo, com ou sem emissão de certificado (CDB/RDB);depósitos mantidos em contas não movimentáveis por cheques, destinadas ao registro e controle do fluxo de recursos referentes à prestação de serviços de pagamento de salários, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares; letras de câmbio; letras imobiliárias; letras hipotecárias; letras de crédito imobiliário; letras de crédito do agronegócio; operações compromissadas que têm como objeto títulos emitidos após 08.03.2012 por empresa ligada.