brasil-agenda

Brasil - Evolução dos Indicadores da Agenda

16 MAI, 2018 / POR: ACIONISTA.COM.BR

                                   

Brasil...

IGP-M avança 1,20% no segundo decêndio de maio. Dentre os indicadores: o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) avançou de 0,46% no segundo decêndio de abril para 1,71% no segundo decêndio de maio, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou 0,20% no segundo decêndio de maio, ante 0,27%, no mês anterior e ,por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou alta de 0,44% no segundo decêndio de maio. No mês anterior, este índice havia subido 0,37%.

IGP-10 apresenta variação de 1,11% em maio. Com este resultado, o índice acumula alta de 3,18% no ano e de 3,58% em 12 meses.

Setor de serviços apresenta variação de -0,2% em março. A variação negativa foi acompanhada por três das cinco atividades investigadas, com destaque para serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,8%).

Indicador Antecedente cai em abril. A Fundação Getulio Vargas - IBRE e o The Conference Board (TCB) divulgaram que o Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil recuou 0,8%, entre março e abril, para 116,9 pontos.

'Após nove meses de altas seguidas, o IACE recuou em abril com os componentes de expectativas captando o sentimento de frustração em relação ao ritmo da retomada econômica. Somando este resultado à quarta queda consecutiva do ICCE, a probabilidade associada a uma reversão do ciclo elevou-se ligeiramente. Por enquanto, um crescimento da atividade ao longo do ano continua a ser esperado, mas em menor intensidade', afirma Paulo Picchetti, pesquisador do IBRE/FGV.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados 'ruídos', colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

IBC-Br recua 0,74% em março. O Banco Central divulgou que a atividade econômica recuou 0,74% em março de 2018 com relação ao mês imediatamente anterior, na série dessazonalizada.O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) passou de 137,57 pontos para 136,55 pontos na série dessazonalizada de fevereiro para março.

Recuperação de crédito avança 5,1% em abril, na comparação mensal com ajuste sazonal. O movimento negativo em 12 meses resulta ainda das dificuldades enfrentadas pelos consumidores, com lenta retomada da atividade e mercado de trabalho ainda fragilizado. Espera-se que com a diminuição da desocupação e melhora na renda, as famílias encontrem situação financeira mais favorável, que permitirá uma evolução mais consistente na recuperação de crédito.

IPC-S recua na 2ª semana de maio, o índice de preços ao consumidor - semanal (IPC-S) de 15 de maio apresentou variação de 0,24%, 0,08 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada na última divulgação.

Atividade econômica sobe 0,1% em março. De acordo com os economistas da Serasa Experian, o primeiro trimestre do ano manteve a trajetória de expansão da economia, embora num ritmo mais brando do que se esperava anteriormente apesar da carga de estímulos monetários (reduções das taxas de juros) que já se acumularam na economia desde finais de 2016.

Fonte: Enfoque