Lápis

Estácio, Kroton e muitas mais: Assim melhoraremos a educação no país?

23 JUN, 2017 / POR: ACIONISTA.COM.BR

                          

O mercado vê, nesta semana, as ações de Estácio e Kroton perderem valor em função da demora da decisão do Cade para aprovação ou rejeição da unificação. De um lado a questão de permitir-se a criação de uma instituição de ensino superior 10 vezes maior que o segundo maior do mercado e por outro, a questão de controles qualitativos.

Ânima, Ser Educacional e Somos Educação são outras empresas do setor educacional com ações negociadas em bolsa. E há várias outras instituições públicas e privadas atuando neste setor. Há espaço para muitas mais.

Iniciativas privadas como a Avenue, Escola Eleva e Grupo SEB, estão chegando para revolucionar a educação básica, abrindo horizontes para uma educação voltada para o futuro, não engessadas como a que temos, ainda desenvolvidas sobre modelos antigos. Investidores estão atentos e apoiando estas iniciativas. Investidores da Estácio e Kroton tem esta visão, tanto que o acordo foi aprovado por seus acionistas.

Ensino de nível básico, fundamental, médio e superior necessitam investimentos para que atualizem-se, valorizem seus profissionais, cresçam e cheguem para todos em nosso imenso país. Há mecanismos para controle de qualidade, há formas de minimizar a questão da concorrência, para isso basta boa vontade de todos os lados em acordar comprometimentos para que se ampliem o acesso ao ensino em todos os seus níveis para todas as classes sociais. Desejamos que o governo exerça seu poder pensando em parceria público-privada.

A educação permite o pensar com clareza, permite ter conhecimento para discutir e criticar, amplia horizontes e promove o crescimento de uma nação.

Educação é essencial!