novo-corte-selic

Bancos descontam em clientes novo corte da Taxa Selic

22 MAR, 2018 / POR: ACIONISTA.COM.BR

                                   

O COPOM, Comitê de Política Monetária do Banco Central, por unanimidade, cortou a Taxa Selic em 0,25pp, na 4ª-feira (21/03), conforme divulgada nota do BC. Esta redução da Selic já era esperada pelo mercado, porque na reunião do Copom de fevereiro, o BC deixou margem de que poderia ocorrer novo corte. Foi a 12ª redução consecutiva da Selic. Atingiu o menor valor histórico desde 1986, quando passou a ser usada como referência.

Fatores que contribuíram para a queda da Selic:

• Economia brasileira: em recuperação;

• Cenário externo: está favorável, a partir do momento que a atividade econômica cresce globalmente.

IPCA com comportamento fraco. A Expectativa do Boletim Focus publicado na segunda feira (19), mostra uma queda de 3,67% para 3,63% em 2018, abaixo do esperado pelo governo que tem como meta 4,5%. Para 2019 e 2020 a previsão é em torno de 4,20% e 4,0% respectivamente.

Na taxa de juros e câmbio, retirados da pesquisa Focus mostram que as projeções do Copom ficam em torno de 3,8% para 2018 e de 4,1% para 2019 encerrando 2018 em 6,5% e 2019 em 8,0% já divulgado nesta semana.

Fatores de riscos para o cenário básico da inflação ainda permanecem:

• Nível baixo da inflação;

• Atraso na aprovação da reforma previdenciária.

Ajustes na economia brasileira pode afetar prêmio de riscos e elevar a trajetória da inflação. Isto pode acontecer caso o cenário externo não esteja mais favorável para as economias emergentes.

O economista, Luiz Carlos Mendonça de Barros, em entrevista com Ricardo Boechat, na BandNews FM, disse que se o Copom tivesse acelerado mais os cortes lá atrás, a nossa economia já estaria mais forte. Com essa demora da desinflação a economia demorou muito mais para reagir entrando num ciclo vicioso.Segundo Mendonça de Barros o que supreendeu foi o Copom disser que para a próxima reunião vai ter mais um corte de pelo menos de 0,25pp ficando em 6,25%.

Os bancos disseram que vão repassar esta redução da Taxa Selic aos clientes a partir de 26/03.


Bradesco

Vai repassar os 0,25pp da Taxa Selic para pessoa física e jurídica, porém não especifica quais linhas de créditos serão contempladas com este corte, segundo comunicado na imprensa.


Itaú Unibanco

Cheque especial: taxa a partir de 2,08% ao mês.

Micro e pequenas empresas: redução nas taxas do cheque especial e capital de giro.

Pessoa física: reduziu em 18pp a taxa média de crédito pessoal entre out/16 e fev/18.Também fez reduções nas taxas de juros de financiamento de veículos e no crédito imobiliário sem informar o valor deste corte.


Banco do Brasil

Pessoa física: linha de crédito parcelada no cartão de crédito – redução de 0,20.pp ao mês.

Pessoa jurídica: linhas de capital de giro, desconto de títulos e cheques, antecipação de crédito para lojista e conta garantida.


Banco Santander

Saiu na frente e reduziu suas taxas dia 20/03:

Financiamento de veículos: de 0,97% para 0,95%.

Crédito pessoal: de 1,57% para 1,55%.

Cheque especial: 2,23% para 2,21%.


Poupança

Prevalece a regra que vigora desde 2012: cortes no rendimento sempre que a Selic estiver abaixo de 8,5%. Após esta redução fica em 4,55% a.a + Taxa de Referência(TR).


Consumidor

Com juros baixos as pessoas começam a consumir mais, endividar-se com os empréstimos, pois acreditam que agora baixou o juro e está mais barato contrair empréstimos. Esquecem, porém, que a economia é uma montanha russa: hoje está com os juros baixos, amanhã sobem estratosfericamente.

Não está descartado novo corte para a próxima reunião que acontece dia 16/05. Vamos aguardando o desenrolar dos acontecimentos. Conforme reagir a economia teremos mais uma redução ou quem sabe o gráfico volta a subir.

Nota do Copom