economia

Resultados da Agenda Econômica - EUA e Brasil

20 ABR, 2018 / POR: ACIONISTA.COM.BR

                                   

EUA...

Atividade industrial da Filadélfia avança mais que o esperado.

Divulgado pelo Fed (Federal Reserve da Filadélfia) o índice que registrou 23,2 pontos em abril deste ano, contra os 22,3 pontos do mês anterior. Dado que veio acima do esperado pelo mercado, estimava-se a expansão para 20,1 pontos.

Armazenamento de gás natural recua na semana de 13 de abril.

Foram registrados -35B contra os -19B da semana anterior, segundo EIA (Administração de Informação sobre Energia dos EUA).

Pedidos de seguro-desemprego recuam.

Na semana terminada em 13 de abril, foram registrados 232 mil pedidos de seguro-desemprego, dado divulgado pelo Departamento de Trabalho dos EUA. Analistas esperavam 230 mil pedidos na semana avaliada, contra os 233 mil registrados na semana anterior.

Brasil...

Confiança do Empresário Industrial recua em abril

Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) de abril ficou em 56,7 pontos, um recuo de 2,3 pontos em relação ao mês anterior, dado divulgado pela CNI (Confederação Nacional da Industria). A queda interrompe dois meses de estabilidade do índice.

Apesar dessa queda, o indicador está ainda bem acima da linha divisória de 50 pontos, apontando confiança do empresário. O ICEI situa-se 2,5 pontos acima de sua média histórica (54,2 pontos) e mostra crescimento de 3,6 pontos na comparação com abril de 2017.

1º trimestre tem menor percentual de cheques sem fundos.

O percentual de devoluções de cheques pela segunda vez por insuficiência de fundos no mês no primeiro trimestre do ano foi de 2,00% em relação ao total de cheques compensados, segundo o Indicador de Cheques Sem Fundos (dado divulgado pela Serasa Experian). O percentual é o menor já registrado para o período desde 2011, quando o número foi de 1,89% de devoluções.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a consolidação da retomada do crescimento econômico com inflação baixa e sob controle, juros mais baixos e lenta recuperação do emprego favoreceram a redução dos níveis de inadimplência com cheques neste primeiro trimestre no país.

Expectativa de inflação dos consumidores recua, mostra FGV.

A perspectiva mediana dos consumidores brasileiros para a inflação nos 12 meses seguintes recuou em relação ao mês anterior ao passar de 5,3% para 5,0%, o menor nível desde agosto de 2007 (4,9%). Em comparação com o mesmo período no ano anterior, houve recuo de 2,5 pontos percentuais.

“A queda na expectativa de inflação dos consumidores está em linha com o que foi previsto em meses anteriores e reflete o momento de estabilidade da inflação. Para os próximos meses, espera-se que o indicador de expectativa de inflação continue caindo, refletindo o bom momento do nível geral de preços da economia”, afirma o economista Pedro Costa Ferreira, da FGV IBRE.

A expectativa de inflação recuou em todas as faixas de renda, exceto para as famílias com renda acima de R$ 9.600,00, cuja inflação prevista mantém-se estável em 4% pelo quarto mês consecutivo. A maior queda ocorreu na faixa de consumidores com renda familiar até R$ 2.100,00, cujas expectativas de inflação passaram de 6,4% em março para 5,8% em abril, o menor nível desde setembro de 2007.

Fonte: Enfoque