Sabesp pode ser saída para quem perdeu com Sanepar

18 JUL, 2017 / POR: GUSTAVO KAHIL, MONEY TIMES

                          

O Credit Suisse elevou em 75% o preço-alvo para as ações da Sabesp (SBSP3) com a aposta de que a estatal paulista terá uma revisão mais favorável do que a expectativa pessimista do mercado refletida no valor das ações na Bolsa, mostra um relatório enviado a clientes nesta sexta-feira (14).

"Em nossa opinião, a Sabesp parece ter precificado uma revisão tarifária desfavorável, deixando uma grande vantagem para os investidores no caso de a racionalidade prevalecer no próximo processo", explicam os analistas Vinicius Canheu e Arlindo Carvalho. O valor projetado por eles para os papéis subiu de R$ 24 para R$ 42. A recomendação é de compra.

O banco calcula que o regulador paulista (Arsesp) irá avaliar a base de ativos da empresa em R$ 40 bilhões e a uma taxa do custo médio ponderado do capital (Weighted Average Cost of Capital - WACC) de 8%, o que resultaria em um aumento de 10% nas tarifas.

Pé atrás

O BTG lembra que o setor de saneamento neste ano sofreu com o desapontamento dos investidores após processos de revisões tarifárias desfavoráveis no Paraná e em Minas Gerais. Com isso, o mercado poderia estar com o pé atrás também para a companhia paulista.

"No entanto, acreditamos que a maior parte disso já está refletida no preço das ações e os riscos negativos sobre o resultado tarifário da Sabesp são menores do que eram para as outras empresas listadas, uma vez que a Sabesp está entrando em seu segundo ciclo regulatório, enquanto a Sanepar e a Copasa estavam enfrentando suas primeiras revisões tarifárias", explicam os analistas.