selic

Comentários sobre o Boletim Focus: PIB, inflação, juros e dívida pública

10 SET, 2018 / POR: CARLOS DIX SILVEIRA*

                                   

PIB

A última edição da pesquisa Focus, divulgada segunda-feira (03), reduziu a estimativa de crescimento do PIB de 2018 de 1,47% para 1,44%. A projeção de evolução do PIB em 2019 foi mantida em 2,50%.

Levantamento do IEDI – Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial, contratado pelo Estadão/Broadcast, demonstra que a crise na indústria brasileira piorou no primeiro semestre e que mais de um terço dos setores industriais encerrou a primeira metade do ano com desempenho negativo. O estudo revela, ainda, que a crise cresceu de 26% para 36% nos 93 ramos industriais analisados. O movimento industrial apresentou crescimento de 3% e no segundo a alta caiu para 1,7%. O crescimento no primeiro semestre foi da ordem de 2,3% este ano ante 4% ocorrido no mesmo período de 2017. As disputas comerciais entre USA e China, a crise econômica enfrentada por Argentina e Turquia torna adverso o setor externo. O período eleitoral, dos mais complicados já ocorridos no Brasil, agrava a recuperação da nossa economia.


Inflação

A pesquisa Focus alterou a expectativa de inflação de 2018 de 4,17% para 4,16% e a de 2019, de 4,12% para 4,11%. Para atingir a taxa projetada de 4,16% pela pesquisa é necessário que no período setembro/dezembro a taxa média mensal não supere 0,318%.

O IBGE divulgou quinta-feira (06), o IPCA de agosto de 0,09%, a menor taxa para o mês desde 1998. No acumulado do ano a taxa chegou a 2,85%, mais alta do que a de 1,62% do mesmo período de 2017. Nos últimos doze meses o IPCA acumula 4,19%, ante 2,46% acumulados em 2017. Contribuíram para a deflação do mês os setores de alimentos e bebidas e o de transportes cuja retração foi, respectivamente, de 0,34% e 1,22%. O setor alimentos apresenta deflação nos dois últimos meses e o setor transporte apresenta importante redução nos preços das passagens aéreas da ordem de 26,12% após alta de 44,51% em julho.


Juros

A pesquisa Focus alterou a estimativa da taxa de juros de 2018 de 3,75% para 3,80% e mantem a expectativa de 3,70% para 2019.

A taxa de juros deve se manter dentro das expectativas da pesquisa Focus em razão do desemprego elevado e do consumo deprimido, apesar do ambiente eleitoral indefinido, do déficit expressivo do governo e do cenário externo adverso.


Dívida Pública

A pesquisa manteve a expectativa da dívida líquida de 2018 em 54,25% do PIB e alterou a de 2019 de 57,40% para 57,60% do PIB. A dívida líquida do setor público corresponde ao saldo líquido do endividamento do setor público não financeiro e do Banco Central com o sistema financeiro (público e privado), o setor privado não financeiro e o resto do mundo. O saldo líquido é o balanceamento entre as dívidas e os créditos do setor público não financeiro e do Banco Central.

Boletim Focus (original)

*Economista