Artigos

Índice

IPOs realizados na NYSE captam US$ 2,2 bilhões no primeiro semestre de 2009  

Bolsa norte-americana mantém liderança em IPOs nos EUA e supera alguns pares na Europa

Nova York, 7 de julho de 2009 - As 11 empresas que fizeram Oferta Pública de Ações (IPO, na sigla em inglês) na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) captaram US$ 2,2 bilhões em recursos, ao longo do primeiro semestre de 2009. Com esse resultado, a NYSE mantém sua liderança nesse tipo de operação nos Estados Unidos*. Tais companhias representam mais de 90% das empresas que atendem os requerimentos e são consideradas qualificadas para terem ações negociadas na Bolsa de Valores de Nova York.

Além de superar todas as outras praças financeiras nos EUA, a subsidiária norte-americana da NYSE Euronext ultrapassou importantes bolsas de valores européias, como a Deutsche Boerse, LSE Group. Já em comparação com o grupo Nasdaq OMX, por exemplo, o montante levantado em IPOs na Bolsa de Valores de Nova York até junho foi oito vezes maior do que o da bolsa eletrônica americana Nasdaq (US$ 268 milhões).

A NYSE também lidera a listagem de empresas de tecnologia, consolidando seu domínio sobre a Nasdaq. Anualmente, desde a bolha da internet em 2002, os IPOs de empresas de tecnologia que aconteceram na Bolsa de Nova York captaram mais do que as operações realizadas na Nasdaq, exceto em 2006. Além disso, 18 das 22 empresas de tecnologia que abriram capital desde 2007 optaram por listar seus papéis na NYSE. 

Ao longo do primeiro semestre deste ano, as empresas de tecnologia Rosetta Stone (NYSE: RST), Digital-Globe (NYSE: DGI) e SolarWinds (NYSE: SWI)  levantaram mais de US$ 543 milhões. Este montante representa mais que o dobro dos recursos obtidos pelas empresas de tecnologia listadas na Nasdaq, que captaram US$ 268 milhões no mesmo intervalo.

A NYSE também responde pela maior capitalização de mercado de empresas TMT (sigla em inglês para companhias de tecnologia, mídia e telecomunicações) - somando US$ 2,3 trilhões - entre as bolsas de valores de todo o mundo.

"A NYSE continua comprometida com empresas em crescimento e demos todo o suporte necessário aos IPOs mesmo diante do cenário mundial adverso," afirma Scott Cutler, vice-presidente executivo, responsável pelo segmento de listagem das Américas da NYSE Euronext. "Temos investido no desenvolvimento do mercado durante esse período de retração econômica, discutindo com os bancos, firmas de capital de risco/private equity, advogados e consultores. Estamos atuando junto ao governo norte-americano e aos órgãos reguladores em iniciativas que vão da estrutura de mercado à melhoria das práticas de governança corporativa. Temos trabalhado arduamente no sentido de ajudar essas empresas a serem bem-sucedidas", completa Cutler.

IPOs de empresas chinesas retornam à NYSE

No primeiro semestre de 2009, duas empresas chinesas abriram seu capital na NYSE, Chemspec (NYSE: CPC) e Duoyuan Global Water Inc. (NYSE: DGW). Estas operações sinalizam a volta de companhias daquele país à Bolsa de Nova York, após um ano relativamente calmo para IPOs de empresas de capital chinês. Em 2008, apenas três companhias da China abriram capital na NYSE, enquanto em 2007, este número chegou a 18.

"Embora o primeiro semestre de 2009 tenha sido um período conturbado para as empresas estrangeiras, levando em consideração os IPOs, estamos satisfeitos em observar que os IPOs realizados por empresas chinesas na NYSE estão aumentando," afirma Ronnie Kent, vice-presidente executivo e diretor de Listagens Internacionais da NYSE Euronext. "Além disso, ficamos animados com os sinais de retomada dos IPOs em outras regiões, como das empresas sediadas no Brasil,Canadá e até Índia e Israel, considerando os mercados da NYSE Euronext.", conclui o executivo.

A NYSE Amex, mercado norte-americano da NYSE Euronext para empresas de pequeno e médio portes, também atraiu um número significativo de novas listagens por parte da China. Um exemplo foi o IPO da NIVS Intellimedia (NYSE Amex: NIV), no início de 2009. Das sete operações deste ano, quatro foram de companhias chinesas.

Nos primeiros seis meses do ano, houve também ofertas secundárias de empresas chinesas em andamento: US$ 250 milhões foram captados pela Suntech Power Holdings Co. Ltd. (NYSE: STP), US$ 242 milhões pela Yingli Green Energy Holding Company Ltd. (NYSE: YGE), enquanto a E-House (China) Holdings Ltd (NYSE: EJ) captou US$ 26 milhões.

Forte atividade de ofertas secundárias

Nos primeiros seis meses de 2009, as empresas listadas nas bolsas de valores da NYSE Euronext captaram mais fundos por meio de ofertas secundárias do que as empresas listadas em qualquer outra bolsa de valores do mundo. Foram US$ 137,8 bilhões provenientes de 257 ofertas secundárias. Já companhias com papéis negociados na Nasdaq OMX captaram US$ 20 bilhões provenientes de 202 ofertas secundárias até o momento.


Janeiro a junho de 2009, fundos obtidos nas principais bolsas (incluindo fundos mútuos fechados)

Quadro 1:
Inclui fundos mútuos fechados e REITs (fundo mútuo imobiliário); fundos obtidos não incluem opção green shoe ou opção de distribuição de lote suplementar; os valores foram arredondados (Fonte:  Dealogic, Bolsas)
--NYSE Euronext abrange NYSE (Nova York), NYSE Euronext (Amsterdã, Bruxelas, Lisboa, Paris), NYSE Arca, NYSE Amex, NYSE Alternext
--O Grupo LSE abrange Londres, AIM e Borsa Italiana (Milão)
--Nasdaq OMX abrange Nasdaq, Estocolmo, Copenhagen, Helsinque, Riga (República da Látvia), Tallinn (Estônia), Vilnius (Lituânia), e Reykjavik (Islândia)

Janeiro a junho de 2009, fundos obtidos nas principais bolsas (excluindo fundos mútuos fechados)

 

Quadro 2:
Exclui fundos mútuos fechados; fundos obtidos não incluem opção green shoe ou opção de distribuição de lote suplementar; os valores foram arredondados (Fonte:  Dealogic, Bolsas)
--NYSE Euronext abrange NYSE (Nova York), NYSE Euronext (Amsterdã, Bruxelas, Lisboa, Paris), NYSE Arca, NYSE Amex, NYSE Alternext
--O Grupo LSE abrange Londres, AIM e Borsa Italiana (Milão)
--Nasdaq OMX abrange Nasdaq, Estocolmo, Copenhagen, Helsinque, Riga (República da Látvia), Tallinn (Estônia), Vilnius (Lituânia), e Reykjavik (Islândia)

 * todos os valores dos recursos obtidos em dólares excluem a opção "green shoe", ou opção de distribuição de lote suplementar.


Mais informações para a imprensa:
NYSE Euronext

Christiaan Brakman (Nova York)
1 212 656 2094
cbrakman@nyse.com

 

MZ Consult
(em nome de NYSE Euronext na América Latina)
Geraldo Magella / Ana França Pinto / Carolina Landulfo

55 11 3529 3643/3802/3503
imprensa@mz-ir.com

* Enviado por MZ Consult


* Este artigo expressa a opinião do seu autor. O Acionista.com.br não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações dadas no artigo ou por eventuais prejuízos de qualquer natureza em conseqüência do uso destas informações.
Advertência: As informações econômico financeiras apresentadas no Acionista.com.br são extraídas de fontes de domínio público, consideradas confiáveis. Entretanto, estas informações estão sujeitas a imprecisões e erros pelos quais não nos responsabilizamos.
As opiniões de analistas, assim como os dados e informações de empresas aqui publicadas são de responsabilidade única de seus autores e suas fontes.
O objetivo deste portal é suprir o mercado e seus clientes de dados e informações bem como conteúdos sobre mercado financeiro, acionário e de empresas. As decisões sobre investimentos são pessoais, não podendo ser imputado ao acionista.com.br nenhuma responsabilização por prejuízos que eventualmente investidores ou internautas, venham a sofrer.
O acionista.com.br procura identificar e divulgar endereços na Internet voltados ao mercado de informação, visando manter informado seus usuários mais exigentes com uma seleção criteriosa de endereços eletrônicos. Essa divulgação é de forma única, e os domínios divulgados são direcionados a todos os internautas por serem de domínio público. Contudo, enfatizamos que não oferecemos nenhuma garantia a sua integralidade e exatidão, não gerando portanto qualquer feito legal.