Homem segurando um cofre

Fundo Garantidor de Crédito vai cobrir perdas de até R$ 1 milhão por pessoa

04 JAN, 2018 / POR: ACIONISTA.COM.BR

                                   

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou as alterações da limitação do Fundo Garantidor de Crédito - FGC. A partir de 22/12/2017 o teto estabelecido é de R$ 1 milhão por CPF ou CNPJ,por instituição,ao período de 4 anos para garantias pagas pelo FGC. Este limite afeta 0,3% dos investidores, cerca de 5 mil pessoas, ou seja, restringe a grandes depositantes. Esta nova medida passou a valer para os investimentos contratados ou repactuados. Após os quatro anos da primeira cobertura da garantia o limite é recomposto.

 

Segundo Danilo Palermo, Chefe Adjunto no Departamento de Regimes de Resolução do BC, essa medida vem beneficiar a sociedade. "A garantia de depósito deve proteger os pequenos depositantes, aqueles que não têm condições de avaliar a fundo a situação de cada instituição financeira. Da forma como era antes, grandes investidores se valiam da divisão de seus investimentos em vários bancos, beneficiando-se, indevidamente, da garantia do FGC".

Esta modificação não altera o FGCoop – Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito. O cliente da cooperativa de crédito permanece protegido quanto à garantia de depósitos.

André Lopes, diretor – executivo do FGC disse: "Com essa nova regra tornam o formato da garantia mais adequado ao princípio fundamental da entidade que é garantir os depósitos do investidor que não tem condições de pagar por aconselhamento financeiro profissional adequado".

A extensão da garantia ordinária foi aprovada para credores não residentes no país para investimentos elegíveis à garantia do FGC.

Na prática como funciona: