bolsa e cotacoes

Small Caps: As pequenas-grandes apostas na Bovespa para 2017

20 FEV, 2017 / Jornalista Responsável: Grazieli Binkowski /

A retomada da economia, com a gradativa volta ao capital girando pelo comércio, poderá beneficiar empresas que atuam no varejo. Analistas de investimento apontam empresas do setor do vestuário como miríades entre as small caps na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa). Além disso, a cotação do dólar ainda em patamares atraentes poderá reforçar o caixa de companhias em processo de crescimento que atuam com exportação, em particular commodities com preços atraentes para a venda, casos da carne para a Minerva e o Ferro para a Ferbasa. A seguir, as apostas de três analistas de investimentos para as small caps brasileiras.

Minerva (BEEF3) - A empresa tem melhorado operacionalmente, e o ciclo do gado está bastante favorável, diminuindo os custos de produção da companhia. "O mercado para a carne brasileira está abrindo e isso auxilia na demanda", afirma Carlos Müller, analista-chefe da Corretora Geral.

Cia. Hering (HGTX3) – A avaliação do mercado é que empresas de varejo que apresentem boa gestão e tenham suportado os anos de crise poderão ter em 2017 um ano de crescimento. "A Hering, assim como o setor de varejo, deve ser o primeiro a apresentar melhora com a retomada da economia", afirma André Henrique Trein, analista da Fundamenta Investimentos.

Lojas Renner (LREN3) – Sua capacidade de oferecer produtos de qualidade a preços relativamente acessíveis torna a empresa um destaque no ramo de varejo, avalia Alexandre Marques Filho, analista da Corretora Elite. A administração financeira, em especial a parte de financiamento a clientes, dá uma relevante margem de contribuição para empresa, tornando-a atrativa", aponta.

Localiza (RENT3) – Com os novos IPOs do setor, chega-se à conclusão de que a empresa é destaque em seu segmento, aponta Alexandre Marques, da Elite. Com uma forte participação no mercado de aluguel de automóveis, aumento da diversificação do tipo do aluguel e forte demanda no mercado de automóveis usados, a empresa está preparada para a recuperação da economia que poderá vir nos próximos anos, prevê a Elite.

Valid (VLID3) - A Valid fornece serviços nos segmentos de meios de pagamento, sistemas de identificação, telecom e certificação digital. "Após um processo de reestruturação operacional, incentivado também pelo seu crescimento internacional, acreditamos que a empresa volte a entregar bons resultados nos próximos trimestres", analisa Carlos Müller, analista-chefe da Corretora Geral.

Ferbasa (FESA4) – "A recente alta no preço de referência do ferro cromo no mundo, se for minimamente mantida nos próximos trimestres, deve gerar efeito muito benéfico na geração de caixa da Ferbasa", avalia André Henrique Trein, da Fundamenta Investimentos.

Transmissora Alianca-Taesa- (TAEE11) - É uma boa oportunidade para investidores que procuram ações com forte pagamento em dividendos, sugere Alexandre Marques Filho, da Corretora Elite: "É uma boa oportunidade, dado o histórico do pagamento destes proventos e o mercado onde atua, menos influenciado pelo cenário político e do setor", afirma o especialistas