Homem com dinheiro

Confira as melhores opções para investir a restituição do IR e outros rendimentos extras

12 SET, 2017 / Jornalista Responsável: Grazieli Binkowski

                          

Chegou a restituição? Veja onde investir o reforço no orçamento.

Na temporada de liberação de lotes de restituição do Imposto de Renda, vem à tona a dúvida: onde aplicar este (pequeno, mas bem-vindo) reforço no orçamento? Conforme dados da Receita Federal referentes ao primeiro lote, pago em junho, em média cada contribuinte brasileiro receberia R$ 1.801 do Leão. Como geralmente os valores das restituições não são altos, a recomendação para quem irá investir é procurar os títulos do Tesouro Selic, que é uma modalidade do Tesouro Direto e aceita aplicações abaixo de R$ 100, como sugere Roberto Indech, analista-chefe da Rico Investimentos.

"Assim como a poupança, os títulos do Tesouro Selic têm liquidez diária. A diferença é que aplicar nestas opções rende mais do que a poupança, mesmo em curto prazo, e o valor investido ainda pode ser resgatado com facilidade em caso de qualquer necessidade", compara. Outra vantagem do Tesouro em relação ao restante da renda fixa é oferecer o mesmo rendimento para pequenos e grandes valores, e dispensar taxas de administração como as dos fundos, que acabam punindo o investidor menos endinheirado.

Outra boa opção é reinvestir o montante da restituição em uma previdência privada, cujo valor adicional pode ser definido pelo próprio investidor (diferente de CDBs ou Letras, em que há aplicações mínimas). "Em caso de fundos PGBL, ainda é possível abater o valor da base de cálculo do IR, limitado a 12% da renda bruta anual. Dessa forma, o efeito multiplicador é ainda maior, já que o valor a pagar diminui e a restituição aumenta", afirma a gestora de Renda Fixa da Mongeral Aegon Investimentos, Patrícia Pereira.

No atual momento, a restituição está no radar dos investidores, mas outros rendimentos extras, também de valores relativamente baixos, podem ter os mesmos destinos. "Resgate de contas inativas do FGTS, restituição do imposto de renda, 13º salário, Participação nos Lucros e Resultados (PLR), aumentos salariais, bônus, comissões, rendimento das aplicações financeiras, enfim. É possível direcionar todas as rendas extras para adiantar o sonho da independência financeira fazendo uma aplicação", sugere o educador financeiro Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin).

Mais do que pensar em investimento, o reforço no caixa pode servir para eliminar dívidas (que corroem boa parte do orçamento e às vezes inibem a criação de uma reserva financeira). "Às vezes é difícil colocar em prática o hábito de poupar para investir, mas o mês em que a restituição é recebida pode ser um ótimo impulso para o início desse novo hábito. Por se tratar de um dinheiro não esperado, fica mais fácil começar a investir com parte ou todo o valor, e a partir do mês seguinte já separar uma parcela do salário para continuar aplicando", sugere Patrícia Pereira.

Dinheiro extra é ótimo para quitar dívidas que estejam prejudicando o orçamento da casa ou da família, afirma ela. "Compras no cartão, empréstimos, cheque especial, tudo isso pode virar uma bola de neve difícil de controlar. Além disso, os juros geralmente são maiores que o rendimento de investimentos, então não se deve deixar de aproveitar esse momento para se livrar das preocupações com o reforço do orçamento", sugere.


Cronograma de Lotes de Restituição