Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Conheça os CDBs que pagam mais de 1% ao mês

11 SET, 2018 / Jornalista Responsável: Grazieli Binkowski

                                   

Apesar de os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) oferecidos por grandes bancos terem minguado com a queda da Taxa Selic, hoje em 6,5% ao ano, títulos em instituições menores e corretoras de valores ainda podem oferecer bom rendimento. A Easynvest apresenta um CDB do Banco Fibria com taxa de 15% ao ano (ou 1,17% ao mês), para aplicações mínimas de R$ 1.001,11. Considerando o desconto de Imposto de Renda (IR) em sua alíquota mais baixa, de 15%, o rendimento líquido mensal fica em 1,05%. Já a Spinelli possui em sua carteira de produtos um CDB que paga 14,14% ao ano, mas a aplicação mínima é mais alta: a partir de R$ 30 mil. Descontado o Imposto de Renda, a aplicação cresce 0,99% ao mês.

A Genial Investimentos colocou no mercado recentemente o que batizou como Super CDB, que promete rendimento de 1% ao mês ao longo de cinco anos. O título foi emitido pelo Banco BMG e esteve disponível aos clientes por tempo limitado. A aplicação mínima foi de R$ 5 mil. Conforme Marcelo Sande, gerente de produtos e renda fixa da Genial Investimentos, o produto tem algumas semelhanças ao CDB tradicional, como a cobertura ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC), mas também algumas diferenças, como creditar mês a mês os juros na conta dos clientes – e não entregar todo rendimento apenas no resgate.

"Pensamos em um produto acessível à pessoa física e capaz de pagar uma rentabilidade de 1% ao mês sem obrigar o investidor a carregar um papel por muito tempo", explica Marcelo Sande.

O educador financeiro Rafael Seabra, que presta consultoria em investimentos pessoais, explica que os bancos menores oferecem rentabilidade maior no CDB como forma de atrair investidores e competir com as instituições maiores. O investidor deve considerar o risco de alocar recursos nestas instituições até o limite do FGC, que é de R$ 250 mil por cliente e por instituição financeira.

"Ou seja, se o investidor preferir um CDB de um banco menor, é importante ficar atento a este limite, e se tiver mais dinheiro a aplicar, pode dividir em instituições diferentes", diz Seabra.

Grandes bancos não costumam divulgar o rendimento de seus CDBs, até porque há margem de negociação dependendo do valor aplicado – acabam sendo beneficiados os investidores com capacidade de aportar mais de R$ 50 mil. Entretanto, consultores financeiros apontam que a oferta média de rendimento varia de 90% a 95% do CDI, o que representa um rendimento mínimo entre meros 0,487% e 0,514% ao mês. Ou seja, descontando o IR, que varia conforme o tempo de permanência na aplicação, esta faixa de rentabilidade não é muito melhor que a da Caderneta de Poupança, que fica em aproximadamente 0,4% ao mês, dependendo da Taxa Referencial (TR).

Como escolher o melhor CDB

O fato é que os CDBs seguem no radar de investidores mesmo com a queda dos juros básicos. Conforme a Cetip, estes certificados foram o destaque no guarda-chuvas da renda fixa no segundo trimestre deste ano. Em relação ao mesmo período de 2017, as operações com os certificados cresceram 32,8% - praticamente o dobro da média da renda fixa, que foi de 16,9%.

É preciso comparar o rendimento dos CDBs com outras aplicações da Renda Fixa para saber quais são as alternativas mais vantajosas. Em primeiro lugar, vale colocar lado a lado os certificados com as letras de crédito incentivadas (como LCI e LCA), que têm isenção de IR e podem trazer um rendimento líquido mais alto. Além disso, é importante comparar estas aplicações com títulos do Tesouro Direto, que, por serem isentos de taxas de administração e pagarem o mesmo rendimento para qualquer volume de aplicação, costumam ser indicadas ao investidor menos endinheirado.


Links interessantes

Conheça as LCAs que pagam mais de 10% ao ano

Saiba como escolher os melhores títulos no Tesouro Direto