Copesul

Release dos resultados 4T06
 
COPESUL 30 ANOS: LUCRO RECORDE DE R$ 664,8 MILHÕES É RESULTADO DA NOVA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO E DESEMPENHO EM NÍVEL DE EXCELÊNCIA

Triunfo/RS, 31.01.2007 – Diante de uma conjuntura de mercado doméstico em que a oferta de polietilenos, principal mercado da Companhia, foi significativamente maior que a demanda, a Copesul novamente surpreendeu ao apresentar a seus acionistas um resultado ímpar: lucro líquido societário, antes das destinações, de R$ 644,8 milhões. O resultado, 8,0% superior ao obtido em 2005, é o novo recorde histórico da Empresa.

O EBITDA apresentou crescimento de 7,5%, atingindo o valor de R$ 1,1 bilhão, efeito direto do crescimento de 8,0% no volume de vendas em relação a 2005, conforme demonstra o pequeno recuo da relação EBITDA/tonelada comercializada. A Copesul fechou 2006 com uma receita bruta consolidada de R$ 8,1 bilhões, 10,9% superior a do ano anterior. A margem EBITDA foi de 18,0%, contra 19,0% em 2005.

 

Copesul - Resumo do desempenho financeiro consolidado - (R$ milhões)

 

2005

2006

Variação 2006/2005 (%)

Receita bruta

7.348,3

8.148,2

10,9

Receita líquida de vendas

5.616,8

6.376,4

13,5

Custo dos produtos vendidos (CPV)

4.610,4

5.292,4

14,8

Lucro líquido ajustado antes das participações

615,5

664,8

8,0

Copesul – Indicadores EBITDA

EBITDA societário – R$ milhões  (1)

1.066,8

1.147,1

7,5

EBITDA/tonelada comercializada – R$/t

389,1

387,2

-0,5

Margem EBITDA - % (2)

19,0

18,0

-5,3

(1) Lucro antes dos impostos, juros, depreciações e amortizações

(2) Ebitda societário / receita líquida de vendas

Comercialização

Em 2006, a Copesul quebrou recordes de vendas em praticamente todos os segmentos de atuação, totalizando um volume de 2.962 mil toneladas vendidas, 18% a mais que no ano anterior. As vendas no mercado interno atingiram 2.562 mil toneladas, equivalentes a uma receita líquida de R$ 5.413,5 milhões.

A Companhia comercializou no mercado externo 400 mil toneladas de produtos, apurando uma receita FOB de US$ 324,4 milhões, o que também é uma marca recorde na história da Empresa. A América do Sul absorveu 49,2% das vendas externas, favorecidas por uma estratégia de aproximação com os clientes da região que oportunizou melhores margens de comercialização.

Consumo de matérias-primas

A nafta, principal matéria-prima da indústria petroquímica, atingiu em 2006 preços 18,8% acima do preço médio do ano anterior. A Copesul manteve sua estratégia de suprimento focada na diversificação de fornecedores. Do total processado pela Empresa, 58% do volume foi importado diretamente pela Copesul, especialmente da África e América do Sul, sendo metade nafta e metade condensado. Os restantes 42% foram adquiridos principalmente junto à Petrobras e à Refap.

Novo patamar de produção

As inovações introduzidas durante a parada da Planta 2, realizada no final de 2005, permitiram à Copesul elevar sua capacidade de produção de 1.135 mil toneladas/ano para 1.200 mil toneladas/ano em 2006. Este fator, associado ao excelente desempenho industrial, oportunizou uma ocupação de 98,8% da capacidade instalada das duas plantas. Este patamar é a consolidação de um amplo programa de excelência nas operações industriais desenvolvido nos últimos anos, baseado em elementos como confiabilidade industrial com elevado nível se segurança.

Copesul - Resumo do desempenho operacional - (1.000t)

 

2005

2006

Variação 2006/2005 (%)

 Produção de eteno

1.078

1.200

11,3

 Vendas de eteno

1.080

1.188

10,0

 Vendas totais

2.744

2.962

7,9

 Consumo de matéria-prima

3.325

3.678

10,6

 Nível operacional médio (base eteno)

93,3%

98,8%

5,9


Responsabilidade socioambiental

Os programas de investimento em proteção ambiental permitiram à Copesul reduzir em 14% a geração de efluentes orgânicos e em 18% a geração de resíduos sólidos. O desempenho em segurança, medido pelo número de acidentes do trabalho com afastamento, também foi o melhor da história da Copesul. A redução foi de 58% em relação ao ano anterior, atingindo 0,35 acidentes por 200 mil horas trabalhadas.

Nas suas ações de relacionamento e de responsabilidade social na comunidade, a Copesul consolidou sua presença no meio cultural e social, além de avançar por novas áreas, como promoções voltadas ao meio ambiente e à geração de renda. No total, a Companhia direcionou recursos da ordem de R$ 13,5 milhões em 2006, beneficiando diretamente mais de 53 mil pessoas. Uma pesquisa constatou que 22% da população de Porto Alegre reconhece o papel de liderança exercido pelo Projeto Copesul Cultural e sua importância na vida cultural do Rio Grande do Sul.


Valor Adicionado e geração de tributos

A Copesul contribuiu para a sociedade, na forma de geração de valor adicionado, com o montante de R$ 2.191.194 mil em 2006. Mais da metade deste valor (59,0%) foi destinado aos cofres públicos, mediante a geração de R$ 1.292.704 mil em tributos. Entre os impostos destaca-se a geração de ICMS, que em 2006 representou 4,0% do total de ICMS arrecadado no Rio Grande do Sul. No que se refere à União, a Copesul respondeu nesse ano por 4,7% da arrecadação no Estado.

Copesul – Distribuição do valor adicionado

  2005 % 2006 % Evolução
Pessoal 138.439 5,7%    144.609 6,6% 4,5%
Governo 1.541.641 63,4%  1.292.704 59,0% -16,1%
Financiadores 68.056 2,8%    60.529 2,8% -11,1%
Acionistas 684.988 28,2%   693.352 31,6% 1,2%
Total 2.433.124 100,0% 2.191.194 100,0% -9,9%


Valor de mercado

O valor da ação Copesul no mercado encerrou o exercício em R$ 38,10, levando o valor de mercado da empresa em 31 de dezembro de 2006 para R$ 5.723,3 milhões, equivalentes a US$ 2.676,9 milhões (150.217.167 ações ordinárias).

Do resultado do ano, a Copesul destinou antecipadamente a seus acionistas R$ 441,9 milhões em dividendos e juros sobre o capital próprio. Um adicional de R$ 204,1 milhões ainda será distribuído ao longo do primeiro semestre de 2007, totalizando R$ 646 milhões em dividendos e juros sobre o capital próprio relativos a 2006.

Obs.: Valor de mercado da ação na última negociação em bolsa de cada ano.