Semanalmente, tabela atualizada da evolução do Ibovespa, do volume diário de negócios, da cotação do Dólar comercial americano e do Risco Brasil, Petróleo e ações da Petrobras com breve comentário sobre as variações ocorridas no período.


Variação Percentual dos Indicadores de Mercado
Período Ibovespa US$ Risco Brasil
12 Meses 16,06 14,28 2,49
Ano 10,78 12,79 6,01
Mês (3,18) 0,43 (5,00)
Semana (4,27) 1,19 (2,76)


Evolução dos Indicadores de Mercado

Dólar Dólar

A taxa de câmbio repetiu relativa estabilidade durante a semana. O dólar à vista variou de R$ 3,727 de segunda-feira (05), a R$ 3,736 sexta-feira (09). A taxa média da semana de R$ 3,739 superou, levemente, a da semana anterior de 3,703. A pesquisa Focus desta semana alterou a previsão da taxa do dólar de 2018 de R$ 3,71 para R$ 3,70 e manteve inalterada a de 2019 em R$ 3,80. A taxa de câmbio apresenta alta de 1,14% na semana e de 0,38% no mês. Acumula alta de 14,22% no ano e de 14,18% nos últimos doze meses.

O dólar terminou o pregão da semana em relativa estabilidade ante o real, aliviando a pressão altista que pressionou o câmbio diante das expectativas de alta decorrentes de comentários do FED. O feriado de 15 de novembro, Proclamação da República, deve manter a cotação do dólar estável, conforme analistas.

Diagrama Bolsa

O Ibovespa fechou a semana aos 85.641 pontos, com queda de 4,27%. Apresenta queda de 3,18% no acumulado do mês e alta de 10,78% no do ano. Nos últimos doze meses teve alta 16,06%. O giro financeiro médio diário da semana foi da ordem de R$15,165 bilhões, valor inferior aos R$20,408 bilhões verificados na semana anterior. O movimento médio diário do mês de novembro de R$ 15,788 foi inferior ao movimento diário médio do ano de R$ 12,015 bilhões.

O Ibovespa amargou a primeira queda semanal desde setembro, encerrando cinco períodos com acumulação de ganhos. Mercado interno e complicações comerciais nos EUA contribuíram para a queda das ações. Investidores estrangeiros retiraram R$ 6,5 bilhões em ações de janeiro até inicio deste mês. As manifestações do novo presidente não conseguiu entusiasmar os investidores estrangeiros que continuam retirando dinheiro da bolsa brasileira. Os investidores locais estão relativamente eufóricos com o desempenho do Ibovespa que este ano apresenta alta expressiva. As definições do novo governo sobre as reformas da previdência e a tributária, especialmente, devem estimular o mercado de ações e proporcionar novo ciclo de investimentos com resultados positivos nossa economia.


Comparativo com Bolsas Mundiais e Índices

Plataforma de petróleo Petróleo & Petrobras

O petróleo Brent fechou o movimento de sexta-feira (09) cotado a US$ 70,21 com queda de 3,50% na semana. No acumulado do mês apresenta queda de 6,96% e no do ano, alta de 5,44%. Nos últimos 12 meses a alta é de 10,45%. O petróleo WTI, por sua vez, encerrou cotado a US$ 60,23 com queda de 5,21% na semana e de 7,14% no mês. Apresenta alta de 0,57% no acumulado do ano e de 5,10% no dos últimos doze meses.

As ações PETR3 ON fecharam sexta-feira (09) cotada a R$ 28,13. Apresentam queda de 5,51% na semana e de 7,22% no mês. Acumula alta de 66,45% no ano e de 76,36% nos últimos doze meses. As ações PETR4 PN fecharam cotadas a R$ 25,46, com alta de 2,96% na semana e de 1,85% no mês. Acumulam alta de 74,72% no ano e de 82,96% nos últimos doze meses.

Fontes da OPEP declararam recentemente que a hipótese de cortes na produção de petróleo em 2019 é provável em razão da necessidade de se evitar possível excesso de oferta que poderia afetar o preço do produto. A Rússia e a Arábia Saudita já iniciaram discussões bilaterais para definir o programa de cortes. Comitê ministerial da OPEP e membros de países aliados anunciou que se reunirão em Abu Dhabi para discutir o mercado de petróleo em 2019.

12 NOV, 2018