.Índice

18 de agosto de 2010

Ganhos operacionais acompanham aumento de liquidez das ações do Santander



O crescimento de 44% do lucro líquido no primeiro semestre de 2010, totalizando R$ 3,529 bilhões foi um dos destaques apresentados pelo Banco Santander durante a primeira reunião de Apimec-Sul. Além da aceleração forte de todos os indicadores de atividades da economia brasileira e do setor bancário, como a retomada da demanda por crédito pelo segmento Pequena e Média Empresa (PME), ganhos internos da instituição foram agregados às justificativas pelo diretor de relações com investidor Luiz Felipe Taunay Ferreira.

“O controle de custos e o contínuo processo de integração entre Real e Santander – que entra na última etapa e deve ser finalizada totalmente na metade do ano que vem – contribuíram com a conquista de R$ 1,4 bilhão em sinergias, e são alguns desses drivers”, detalhou Ferreira.

Outro fato que contribui para este desempenho foi o crescimento da carteira de crédito em 4,7% do segundo para o primeiro trimestre de 2010, superior aos 4,5% obtidos pelo mercado no mesmo período. O incremento no primeiro semestre foi de 9,2% alcançando R$ 146,529 bilhões. Para o banco, chamou a atenção a expansão de 31,1% da carteira de consignado e 29,6% do crédito imobiliário. Assim como o aumento de 24,8% no crédito por meio de cartões para pessoa física, beneficiado pela integração dos principais vantagens nessa área que tinham anteriormente somente clientes do Real ou do Santander.

O foco da companhia no varejo foi lembrado em diversos momentos. Através da composição da carteira de crédito em junho deste ano é possível verificar isso. Mais de 30% estava voltada à pessoa física, outros 18% para financiar o consumo, 22% para PME e 29% a grandes empresas. Outro indicador é a meta de elevar em 30% o número total de agências no país em quatro anos. Isso significa agregar mais 600 unidades às atuais 2.100. Atualmente, a presença do banco é maior na região Sudeste, com 15% do mercado, e no Sul, com 9%. No país já alcança os 12% de market share e é considerado o terceiro maior banco privado.

A entrada no mercado de administração de máquinas de cartões, ou de adquirência aumenta às oportunidades de crescimento do Santander. A meta de cadastrar 20 mil pontos comerciais em 2010 já foi ultrapassada, e está em 51 mil. Para o ano que vem, a expectativa é estar em 312 mil locais.

Outro passo que aumentou a exposição do banco ao mercado brasileiro foi o lançamento primário de ações na BM&FBOVESPA. Depois de cerca de um ano, as ações entraram na nova prévia do Ibovespa, e devem ter um peso de 1%. A companhia é o único banco com ações listadas no Nível 2 de Governança Corporativa. Outra vantagem aos acionistas é o Tag Along de 100% também para as ações Preferenciais, o que dá os mesmos direitos aos minoritários em caso de alienação do controle da empresa. O pay out de 50% foi outro diferencial destacado pelo banco, que no dia 25 de agosto pagará esse percentual do lucro líquido do semestre, que totalizará pouco mais de R$ 1,5 bilhão.

O Santander criou uma área específica do banco para o relacionamento com acionistas pessoas físicas, que é o Santander Acionistas, que pode ser acessado pelo site www.santander.com.br/acionista. A área de relações com investidor tem o foco em investidores institucionais e estrangeiros.
 

Resultados 2T10



Elaborado e editado pela jornalista Grazieli Inticher Binkowski

* Este artigo expressa a opinião do seu autor. O Acionista.com.br não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações dadas no artigo ou por eventuais prejuízos de qualquer natureza em conseqüência do uso destas informações.