Fluxo de caixa

O fluxo de caixa do acionista (FCA)

13 JUL, 2018 / POR: CAMILA COSTA*

                                   

Há uma gama de metodologias e indicadores capazes de estimar o valor de um ativo e o quanto ele vem a ser atrativo para o investidor.

Neste artigo, vamos comparar o Fluxo de Caixa do Acionista e o Fluxo Do Dividendos.

As demonstrações contábeis financeiras são utilizadas em praticamente qualquer método de avaliação, vamos nos ater a demonstração do fluxo de caixa.

A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC)

Através das informações obtidas ao analisarmos o fluxo de caixa de uma empresa, conseguimos avaliar sua capacidade de geração de caixa e o seu real potencial para gerar lucros, independentemente das suas fontes de financiamento.

Existem três seções de fluxo de caixa, que apontam como a empresa gera e gasta seu dinheiro:

O Fluxo de caixa das operações e o fluxo de caixa dos financiamentos – demonstram como a empresa capta dinheiro.

Fluxo de investimentos – demonstra como a empresa utiliza o dinheiro.

Em resumo a DFC nos mostra como uma companhia capta e consome dinheiro.

Através da DFC, obtemos os dados necessários para chegar ao Fluxo de caixa do acionista e ao Fluxo dos Dividendos.

O FLUXO DE CAIXA DO ACIONISTA (FCA)

O FCA, em resumo, é o dinheiro excedente produzido pela empresa, após o pagamento de todas as necessidades de desembolso de capital e de juros aos credores.

Este, pode ou não ser revertido aos acionistas, a empresa pode empregar este excedente para investimentos em expansão de suas atividades.

O FLUXO DE CAIXA DO ACIONISTA (FCA) OU FLUXO DE DIVIDENDOS

Nós, enquanto investidores, compramos ações na expectativa de obter ganhos com a valorização das mesmas e com a distribuição de dividendos.

Observar apenas o Fluxo de Dividendos (dividendos esperados em 1 ano), nos limita a escolher apenas ações de empresas estáveis, em detrimento das empresas cíclicas, com ativos não utilizados e ou com patentes ou opções de produtos.

Um bom holder, precisa desenvolver um bom método de avaliação e tomada de decisão.

Sob este prisma, a análise do FCA se torna mais completa, uma vez que ele apresenta o fluxo descontado de todas as despesas financeiras com juros, incluindo o pagamento de suas dívidas e o custo do capital.

Camila Costa

Camila Costa

Administradora de Empresas pela FAAP
Pós-Graduada em Gestão Financeira pela Anhembi Morumbi
Trader Profissional, investidora e empresária
Linkedin: Camila Costa